Fruticultura reduz custo de exportação

Agronegócio

Fruticultura reduz custo de exportação

Por:
133 acessos

Os produtores de manga do Projeto Jaíba, no Norte de Minas, estão exportando cerca de 45 toneladas da fruta para Lisboa, em Portugal, por semana, utilizando o Aeroporto Internacional de Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. No entanto, 75 toneladas ainda são enviadas para Londres, na Inglaterra, e Paris, na França, pelos aeroportos de Guarulhos e Viracopos, em São Paulo, já que o único voo de Confins para a Europa é da empresa aérea portuguesa TAP,com destino àquele país.

O secretário municipal de Agronegócios de Jaíba, Randolfo Diniz, está negociando com a TAP a distribuição de toda a carga de manga para a Europa. Jaíba exporta também, em média, 140 toneladas de limão e 66 toneladas de banana orgânica, para países europeus, por transporte marítimo, em razão do menor custo do frete, que é de R$ 0,30 o quilo.

Diniz afirma que a rota de exportação por Confins começou a ser usada em junho. “O produtor vende a manga no Brasil, atualmente, por R$ 0,90 o quilo. Se não estivesse exportando, o preço cairia ainda mais. O produto é vendido para o mercado internacional a R$ 1,40 o quilo”.

A rota por Confins, segundo Randolfo Diniz, encurta a viagem, já que de Jaíba a São Paulo são 1.250 quilômetros, e para Confins, 630. “Houve uma redução de cerca de 50% nos custos de logística, além de permitir três viagens por semana. As frutas, agora, são colhidas e embaladas no Projeto Jaíba e, no dia seguinte, já estão no avião para o transporte a Portugal. O tempo menor de viagem reduz danos à qualidade da fruta, diminui gastos e os produtores têm maior competitividade no mercado europeu”, afirma Diniz. A experiência deve ser estendida à exportação de outras frutas, como banana, mamão, cajá e atemóia.

O presidente da Associação Central dos Fruticultores do Norte de Minas (Abanorte), Dirceu Colares, afirma que o Norte de Minas possui cerca de 4 mil hectares produzindo manga, a segunda fruta mais plantada na região, perdendo somente para a banana. “O novo sistema de logística vai estimular os produtores a venderem para o mercado externo, transformando a região em um grande polo exportador”, alega.

Para o prefeito de Jaíba, Sildete Rodrigues de Araújo, a iniciativa é importante. “Além de benefícios ao fruticultor, gera mais renda para a região e já aumentou a demanda de empregos com o beneficiamento das frutas.”


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink