Futuros do milho fecham em alta na B3
CI
Imagem: Marcel Oliveira
BOLSA

Futuros do milho fecham em alta na B3

Os fundamentos continuam altistas no Brasil, com as cotações já superando a alta anterior de novembro
Por: -Leonardo Gottems

O mercado de milho na B3 de São Paulo retomou seu caminho de alta novamente, pelo segundo dia consecutivo, segundo o que afirmou a TF Agroeconômica. “Com isto, a cotação de março subiu R$ 2,37 no dia e R$ 1,19 na semana para R$ 86,78; a de maio avançou R$ 1,83 no dia e R$ 1,87 na semana para R$ 83,62 e a de julho avançou R$ 2,09 no dia e R$ 1,85na semana para R$ 77,12. A entrada da safra de verão nos estados do Sul deu um certo alívio momentâneo aos compradores, mas não tirou a tendência de alta de que vimos falando há quase um mês”, comenta. 

“Os fundamentos continuam altistas no Brasil, com as cotações já superando a alta anterior de novembro, com a falta de disponibilidade no Brasil (por excesso de vendas no ano) e forte demanda nos mercados internos e externos. Além disso, o Brasil plantou uma área menor e ainda há cinco meses até chegar a Safrinha brasileira”, completa. 

Por último, ainda temos uma demanda forte (as exportações de frango cresceram 40% e as do próprio milho continuam elevadas) o que leva a crer que os preços permanecerão firmes. “Finalmente, o dólar, que tinha recuado 2% na semana, subiu líquidos 2% nas duas primeiras semanas do ano e promete continuar firme por ruídos políticos (que apenas começaram), falta de continuação das reformas e problemas fiscais. Todos os produtos concorrentes do milho (farelo de soja, farelo de milho e o próprio trigo) continuam com preços muito elevados e também com viés de alta para o primeiro semestre de 2021”, indica. 

Em Chicago, o milho fechou em grande alta de 12,75 pontos e empurra as cotações para novas máximas. “Os futuros de milho do primeiro mês fecharam com ganhos de dois dígitos nesta sexta-feira e estabeleceram novas altas de contrato para março e maio. Para o primeiro mês de 2021, os de milho de março ganharam 63 centavos”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink