Governo de Goiás entrega mais de 10 mil cestas básicas em assentamentos e acampamentos rurais
CI
Imagem: Divulgação
DOAÇÃO

Governo de Goiás entrega mais de 10 mil cestas básicas em assentamentos e acampamentos rurais

Iniciativa já entregou 38 mil cestas desde início da pandemia
Por:

A força-tarefa mobilizada pelo Governo de Goiás por meio da Campanha de Combate à Propagação do Coronavírus finalizou mais uma etapa de entregas com mais de 10 mil cestas básicas distribuídas em assentamentos e acampamentos rurais do Estado. A iniciativa reúne integrantes de diversas pastas e órgãos a fim de garantir segurança alimentar à população em situação de vulnerabilidade social e impactada pela pandemia.

Sob responsabilidade da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) e Gabinete de Políticas Sociais (OVG), a campanha é coordenada também pela Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) e Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), responsáveis pela distribuição dos alimentos nas áreas rurais. A população domiciliada no campo já recebeu desde o início da pandemia cerca de 38 mil cestas.

Equipes da Secretaria de Desenvolvimento Social de Goiás (Seds), Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBM-GO) e Polícia Militar do Estado de Goiás (PM-GO) também auxiliam na logística de entregas.

Já foram investidos mais de R$ 70 milhões para atender famílias vulneráveis em todo o Estado. Desse valor, R$ 49 milhões foram destinados para compra de 750 mil cestas básicas e R$ 28 milhões repassados diretamente aos municípios para investimentos na área de assistência social. “Todo esse esforço é para levar o alimento, casa por casa, a todos os lugares”, reforça o governador Ronaldo Caiado.

Campo sem fome

O presidente da Emater, Pedro Leonardo Rezende, destaca que a população rural de baixa renda foi uma das classes mais afetadas pela crise sanitária. “O papel da Emater consiste na identificação destas famílias e no mapeamento dos assentamentos e acampamentos mais carentes”, explica. 

Ainda segundo ele, a missão foi confiada à Emater em decorrência da capilaridade da instituição, presente em todas as regiões do Estado, e da natureza do serviço de extensão rural. “A Emater é o braço do poder público que tem a atuação mais presente junto à população rural de baixa renda e que conhece a realidade social desse grupo por conta das ações de apoio aos agricultores familiares”.

O secretário de Estado de Agricultura, Tiago Mendonça, também ressalta o compromisso da Gestão Estadual com a população goiana, especialmente com aqueles que mais precisam. “O governador Ronaldo Caiado e a primeira-dama Gracinha Caiado determinaram para que todas as pastas se unissem em prol desse propósito e, conosco, não poderia ser diferente. Juntas, Seapa e Emater levaram alimentos até os assentamentos e populações rurais mais distantes de todo o Estado”, enfatiza.

Amparo

“Quem tem fome tem pressa”, essa é a máxima defendida pela primeira-dama Gracinha Caiado durante toda a Campanha de Combate à Propagação do Coronavírus. A maioria dos agricultores familiares, principalmente assentados e acampados, teve suas atividades prejudicadas em razão da pandemia. Esses produtores acabaram perdendo a principal fonte de renda para o sustento de suas famílias, entrando em um quadro preocupante de insegurança alimentar.

Uma das beneficiadas, a agricultora familiar Marly de Fátima Caetano, do Projeto de Assentamento (PA) Água Fria, no município de Formosa, revela que o Governo de Goiás não deixou a comunidade desamparada durante a crise. “Agradeço a primeira-dama, Dona Gracinha, por estas cestas. São sempre bem-vindas, em todo tempo que ela manda. Agradeço também, de todo o coração, a polícia e o pessoal da Emater, que estão sempre acompanhando”.

Os impactos sobre a população rural decorre do fato de grande parte dos excedentes produzidos ser comercializada em feiras ou para merenda escolar, restaurantes e outros segmentos que suspenderam suas atividades durante o período mais crítico da pandemia. Além disso, muitas dessas famílias estão invisíveis no sistema de proteção social do Governo Federal, ou seja, não estão no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e não puderam ser contempladas com o auxílio emergencial.

Apesar do crescente reaquecimento econômico, o Governo Estadual tem se empenhado em investir em programas sociais e já aplicou mais de R$ 1,1 bilhão em benefícios para a parcela materialmente mais fragilizada. “Não existem fórmulas mágicas. A vulnerabilidade social é multidimensional e a realidade das famílias que mais precisam é complexa. Por isso, o Governo de Goiás trabalha para fazer a mudança real na vida das pessoas”, salientou Gracinha Caiado em evento do programa Goiás Social.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.