Incidência de vírus no jambu é relatada pela primeira vez
CI
Imagem: Divulgação
AGRICULTURA

Incidência de vírus no jambu é relatada pela primeira vez

O jambu é uma hortaliça muito utilizada em pratos típicos da culinária amazônica
Por:

A Embrapa Amazônia Oriental (Belém, PA) lança mais um volume da série Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento. Desta vez sobre a identificação de um vírus que ataca os plantios de uma das hortaliças mais cultivadas na região Norte do Brasil: o jambu (Acmella oleracea L.), componente indispensável de pratos icônicos da culinária amazônica.

A obra “Identificação e caracterização do tomato chlorotic spot virus em jambu no estado do Pará” é um trabalho científico que utiliza termos técnicos, mas dentro de um contexto narrativo compreensível por quem não é profissional da área nem ainda estudou o assunto.

A fitopatologista Alessandra de Jesus Boari, que pesquisa doenças de plantas na Embrapa e é coautora do boletim, informa que o documento é o primeiro relato da incidência desse vírus em jambu. Os sintomas da virose manifestam-se em manchas anelares, necroses e manchas cloróticas, com evidências de baixa na produtividade da planta. “As observações sugerem perdas qualitativas e quantitativas na produção, mas ainda não dispomos de dados sobre possíveis danos desse tipo”, avalia a pesquisadora.

O vírus identificado é o mesmo que causa a mancha clorótica do tomate e foi detectado em 60% a 100% das plantas de jambu observadas. A pesquisa de campo transcorreu em Santa Izabel do Pará, um dos maiores produtores da hortaliça no estado do Pará juntamente com Santo Antônio do Tauá e municípios da região metropolitana de Belém.

Para se chegar à identificação e caracterização do TCSV (sigla do nome do vírus em inglês) no jambu, amostras de folhas foram coletadas e processadas em testes biológicos, morfológicos e moleculares no laboratório de fitopatologia da Embrapa Amazônia Oriental.

Depois das fases descritas no boletim de pesquisa recém-publicado, seguem-se os estudos sobre a epidemiologia da doença (como se propaga) e as medidas de controle, etapas ainda em andamento.

São também coautores do boletim de pesquisas “Identificação e caracterização do tomato chlorotic spot virus em jambu no estado do Pará” os engenheiros-agrônomos Elliot Watanabe Kitajima (professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), Ayane Fernanda Ferreira Quadros (doutoranda na Universidade Federal de Viçosa) e Caterynne Melo Kauffmann, mestranda da Universidade Nacional de Brasília.

Panc da Amazônia

O jambu é uma planta alimentícia não convencional (Panc) nativa da Bacia Amazônica. No Pará, consomem-se muito as folhas em pratos típicos regionais como pato no tucupi, moqueca, caldeirada e tacacá, além de saladas.

A leitura do documento de pesquisa também proporciona informações históricas, como o fato de o TCSV agora detectado como causador da mancha clorótica em jambu ter sido relatado pela primeira vez no Brasil em 1990 em tomateiro. É um vírus que também ocorre em várias outras culturas, como pimentão, alface, fumo e jiló.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink