Índia compra frango após 10 anos de abertura do mercado

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia os Termos de Uso e a Termos de Privacidade.


CI
PARCEIROS DO BRASIL

Índia compra frango após 10 anos de abertura do mercado

“A Índia aplica uma tarifa de 100% para cortes de frango e de 30% sobre o frango inteiro importado"
Por: -Leonardo Gottems

A Índia começou a importar frango brasileiro depois de mais de 10 anos de abertura do mercado, segundo informações da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). As vendas foram anunciadas pela Seara, do grupo JBS, sendo que a certificações sanitárias para exportação de carne de frango para a Índia já estavam prontas, mas a efetivação de vendas ainda não tinha ocorrido. 

“A Índia aplica uma tarifa de 100% para cortes de frango e de 30% sobre o frango inteiro importado, mesma tarifa aplicada pelo Egito, disse a ABPA em comunicado. Em 2014, a ABPA disse que as tarifas indianas restringiam a efetivação de embarques brasileiros de carne de frango ao país asiático”, informou a CarneTec Brasil. 

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), qualquer planta brasileira de produção de carne de frango está apta a vender o produto para a China, desde que esteja devidamente registrada e inspecionada. “Todas as plantas frigoríficas brasileiras registradas junto ao Serviço de Inspeção Federal podem exportar carne de frango in natura para a Índia, desde que observados os requisitos acordados”, informou o Ministério. 

A BRF, maior processadora de carne de frango do Brasil, no entanto, afirmou que ainda não está exportando para a Índia, mas que não descarta essa possibilidade em um longo prazo, visto que a demanda no país é a alta e o Brasil tem bastante interesse nesse mercado. “A avaliação é que a Índia pode se tonar um potencial mercado no longo prazo, uma vez que a economia está crescendo e há um grande mercado consumidor naquele país”, disse a empresa por meio de posicionamento enviado pela assessoria de imprensa. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink