Iniciativa Café.com agritechs atende 27 startups durante a pandemia

Imagem: Marcel Oliveira

AGRONEGÓCIO

Iniciativa Café.com agritechs atende 27 startups durante a pandemia

Mentorias envolvem especialistas da Embrapa, parceiros e empreendedores
Por:
724 acessos

A Embrapa, por meio da Secretaria de Inovação e Negócios (SIN), atendeu 27 startups de diferentes segmentos do setor agropecuário nos meses de maio e junho por meio do programa  “Café.com agritechs”, iniciativa de apoio em gestão para auxiliar as empresas durante a pandemia da Covid-19. O programa, iniciado no final de abril com o webinar “Covid-19: impactos no agro e oportunidades de reinvenção”, é totalmente online e realizado por meio de sessões de mentoria gratuitas. As sessões conectam empreendedores com especialistas em gestão e  pesquisadores da Embrapa e parceiros. Participaram das mentorias desde empresas com plataformas digitais para incrementar a rastreabilidade ou apoiar a gestão financeira dos produtores rurais até outros negócios com foco no monitoramento e controle biológico de pragas, ou mesmo aplicativo para fortalecer a conexão de pequenos produtores de orgânicos com fornecedores de insumos.

A iniciativa liderada pela Embrapa conta também com a participação da Cedro Capital, Bayer, FoodTech Hub, Plug and Play, 10B e AgTech Garage. O Café.com agritechs tem possibilitado unir expertises em gestão já utilizados para seleção das startups dos desafios de inovação organizados pela Embrapa, tais como o Pontes para Inovação, InovaPork e Ideas for Milk, para dar suporte aos empreendedores do setor agropecuário neste momento de retração econômica em função da pandemia da Covid-19. Após o atendimento das 27 startups inscritas, a SIN e os parceiros do programa estão realizando uma avaliação da iniciativa para definir como o programa pode ter continuidade após o período de pandemia.

Os mentores dedicam algumas horas na sessão online semanal para ouvir os anseios, angústias e dificuldades dos empreendedores e sugerir caminhos possíveis. “Nossa ideia é juntar a lógica de que as startups precisam continuar evoluindo nesse período de pandemia para que possamos crescer juntos lá na frente, por que juntos somos mais fortes”, avalia Cleidson Dias, supervisor de ambientes, redes e iniciativas de inovação da Embrapa.

Para o pesquisador Daniel Trento, o programa ajuda os empreendedores a enfrentar a fase de retração econômica e reduz riscos para a Embrapa e parceiros. “Boa parte de nossas tecnologias chegam ao mercado por meio das startups. Contribuir para que essas empresas parceiras sobrevivam nesse momento difícil é um papel importante, pois será por meio dessas parcerias que nossos ativos tecnológicos poderão se consolidar em inovações adotadas pelo setor produtivo no futuro", comenta.

A empreendedora Gabriela Vieira Silva, da Agribela, startup que desenvolveu tecnologia de controle biológico por meio de cápsulas biodegradáveis que liberam inimigos naturais de pragas, ressalta que a interação com a Embrapa e parceiros amplia a visão das oportunidades de negócios e dos ajustes de rumo possíveis. “Em alguns minutos obtive diferentes pontos de vista sobre nossos produtos e serviços que possibilitaram amadurecimento e também serviram como incentivo para continuarmos no caminho da excelência”, enfatiza Gabriela.

Atuação em rede une parceiros e UDs

Além dos colaboradores da Secretaria de Inovação e Negócios, o programa conta com mentores da Embrapa Agroindústria de Alimentos (Rio de Janeiro – RJ), Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza - CE), Embrapa Alimentos e Territórios (Maceió – AL) e Embrapa Caprinos e Ovinos (Sobral – CE). Além de pesquisadores com formação em ciências agrárias, participaram das sessões de mentoria especialistas em comunicação, marketing e gestão de cadeia de suprimentos.

O gerente de alianças da Bayer, Renato Luzzardi, destaca que interagir com startups em diferentes estágios de desenvolvimento e necessidades é uma experiência interessante para compreender as mudanças em curso e estar apto a dar respostas mais precisas no futuro. “Acredito que também muitas das startups puderam colher importantes recomendações para ajustarem seus negócios a estes novos tempos e muitas conexões novas foram realizadas”, comenta Luzzardi.

Para o analista Everardo Mendes, da Embrapa Caprinos e Ovinos, o programa é um aprendizado mútuo para mentores e empreendedores, além de possibilitar conhecer melhor modelos de negócios e tecnologias alinhados com as necessidades do mercado. “As startups chegam querendo ouvir a Embrapa, com o grande respeito e reputação que desfrutamos na sociedade. A presença dos colegas de empresas como mentores também foi uma ótima sacada. Sem medo de errar, está sendo uma das minhas melhores experiências na Embrapa”, salienta Everardo.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink