Iporá é incluído no APL Lácteo do Oeste Goiano
CI
Imagem: Divulgação
LÁCTEOS

Iporá é incluído no APL Lácteo do Oeste Goiano

Emater acompanha Arranjo Produtivo Local desde seu surgimento, com objetivo de fortalecer cadeia produtiva de leite
Por:

O município de Iporá foi inserido no Arranjo Produtivo Local (APL) Lácteo da Região de São Luís de Montes Belos, na última semana, durante a 9ª Reunião do Comitê Gestor, em Firminópolis, com presença da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater). 

Com a inclusão, o APL passa a abranger 24 municípios, recebendo o nome de Arranjo Produtivo Lácteo do Oeste Goiano. A coordenadora regional da Emater, Daniella Garcia, esclarece que a incorporação de Iporá já era uma demanda antiga, visto que a produção de leite é uma das principais atividades agropecuárias da cidade. 

“Alguns recursos são destinados apenas aos municípios que integram o APL. Iporá agora faz parte, então poderá  receber também recursos para fomentar e melhorar a cadeia do leite”, comemora. Ela celebra também a aprovação da mudança do nome do arranjo, já que agora envolve um raio que se estende para além da região de São Luís de Montes Belos.

Participaram da reunião representantes da Emater, Universidade Estadual de Goiás (UEG), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Instituto Federal Goiano (IF Goiano), sindicatos rurais e secretarias dos municípios integrantes.

Fortalecimento

A Emater acompanha o APL Lácteo desde o surgimento, há cerca de 15 anos, com o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva do leite na região englobada pelo arranjo, conforme explica o extensionista da Agência e presidente do Comitê Gestor do APL, Walmir Elias Costa. “O objetivo é levar informação para esses produtores, oferecer assistência técnica, aumentar a produção e gerar lucratividade para seus negócios”.

Segundo consta no Plano de Desenvolvimento do APL, a estruturação do grupo busca potencializar economicamente a microrregião de São Luís de Montes Belos a partir de uma atividade presente em todos os municípios. “As ações de estruturação e fortalecimento do APL Lácteo são desenvolvidas em três áreas que formam a base de todo o trabalho: protagonismo local, conhecimento e organização social”, descreve o documento.

Potência

A Região Oeste de Goiás reúne municípios que apresentam alto potencial para a bovinocultura leiteira. São Luís de Montes Belos, por exemplo, teve sua produção de leite estimada em quase 16 milhões de litros, segundo o último levantamento do Censo Agro, realizado em 2017, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A produção movimentou mais de R$ 14 milhões. 

Ainda de acordo com a pesquisa, Iporá, o mais recente membro do APL Lácteo, também se destaca na atividade. O município gerou receita de R$ 22 milhões ao produzir naquele ano mais de 24 milhões de litros do alimento.

Goiás é um dos maiores produtores de leite do País, ocupando o posto de 6º colocado em volume de produção. Em 2020, mais de dois bilhões de litros foram produzidos no Estado, aponta a Radiografia do Agro, publicação da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). São mais de 72 mil estabelecimentos rurais voltados para a atividade, que está presente em todos os municípios goianos.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.