Lasa, de Goiás, vai esmagar soja para a Carol


Agronegócio

Lasa, de Goiás, vai esmagar soja para a Carol

Por:
152 acessos

A empresa Lasa Lago Azul S.A., localizada no município de Pameri (GO), fechou acordo com a Cooperativa dos Agricultores da Região de Orlândia (Carol) para esmagar 100 mil toneladas de soja por ano. O valor do negócio não foi divulgado pela empresa. "Em três anos pretendemos dobrar o volume processado, para 200 mil toneladas", afirma Paulo Gontijo Júnior, presidente da empresa goiana.

Pela carta-compromisso assinada na última semana, a cooperativa paulista vai encaminhar a matéria-prima à Lasa, que se encarregará de processá-la e entregar o farelo e o óleo de soja. Do volume de soja esmagado, a Lasa encaminhará 76,7% de farelo e 18,7% de óleo de soja à Carol. "Os volumes excedentes ficarão com a Lasa", afirma Gontijo. O contrato será assinado na próxima sexta-feira.

A Lasa mantinha contrato com a empresa ABC Inco, do Grupo Algar, de Uberlândia (MG). Em 2002, o volume processado para a empresa mineira foi de 45 mil toneladas. "Processamos soja para a ABC nos últimos quatro anos", diz.

A capacidade de processamento da unidade da Lasa é de aproximadamente 600 toneladas por dia. Gontijo Júnior informa que pretende investir brevemente em equipamentos para aumentar a capacidade de esmagamento para cerca de 700 toneladas de soja por dia.

O contrato com a Carol fará com que o faturamento da Lasa aumente expressivamente, segundo prevê o presidente. "Afinal, vamos praticamente dobrar o volume de soja processado neste ano". A estimativa de Gontijo Júnior é de que o faturamento da Lasa em 2003 oscile em aproximadamente R$ 22 milhões ou R$ 23 milhões, o que significaria aumento de 50% em relação aos R$ 15 milhões obtidos no ano passado pela empresa.

Cana-de-açúcar

Além de soja, que é seu principal negócio, a empresa goiana também trabalha no setor sucroalcooleiro. A usina tem capacidade para processar até 30 milhões de litros de álcool. Na última safra, porém, foram produzidos apenas 9 milhões de litros. A crise de 1999, quando os preços do açúcar e do álcool desabaram, provocou forte queda no volume de negócios da Lasa neste setor, diz o diretor.

Paulo Soares


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink