Licença obrigatória para inspetores pode afetar preços do frango nos EUA
CI
Agronegócio

Licença obrigatória para inspetores pode afetar preços do frango nos EUA

O secretário americano da Agricultura, Tom Vilsack, criticou os cortes no orçamento conhecidos como “sequestro”
Por:
Se houver mesmo a licença obrigatória dos inspetores federais de segurança alimentar dos EUA durante o próximo verão por lá, os consumidores poderão esperar, então, por escassez de carnes e preços nas alturas desses produtos.

O secretário americano da Agricultura, Tom Vilsack, criticou os cortes no orçamento conhecidos como “sequestro”, alertando para possíveis impasses com agricultores, processadores e consumidores.

O sequestro representa um corte de 5% sobre as despesas federais, inclusive salários e outros itens da linha de frente da Inspeção. O secretário disse que, mesmo que ele consiga eliminar os gastos excessivos da Agricultura, ainda terá que dar licenças de, pelo menos, 11 dias ao pessoal da inspeção federal para ajudar a reduzir os custos. De acordo com a lei americana, é preciso antes acertar um acordo com as cadeias da carne bovina, de aves e de suínos. As licenças deverão atingir os 6.200 inspetores federais de carnes e mais 3000 técnicos de apoio. Se isso ocorrer, haverá paralisação dos abates nos frigoríficos e falta de produtos nos supermercados. As licenças compulsórias, segundo o secretario, estão previstas para o início do mês de julho.


A Federação Avícola da Geórgia diz que a média de abate de frangos por dia no estado é de 250 mil aves. “Se as licenças de 11 dias forem efetivadas, teremos um acúmulo de 2,75 milhões de aves vivas, prontas para o abate, somente aqui na Geórgia”, estima a entidade.


O secretário Vilsack diz estar de mão atadas sobre a manobra do sequestro, mas se diz disposto a um acordo com as indústrias de carnes para manter a segurança dos trabalhos e da segurança dos alimentos aos consumidores. “Nós estamos esperançosos que o USDA implemente as licenças ou as reduções obrigatórias de uma forma que permita a indústria avícola produzir sem interrupções”, declara Mike Giles, da Federação Avícola da Geórgia. As informações são do Time Free Press.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.