Luz infravermelha pode ser usada na proteção de cultivos
CI
Imagem: Pixabay
TECNOLOGIA

Luz infravermelha pode ser usada na proteção de cultivos

"Esperamos que esta descoberta revele novas informações sobre o efeito das doenças nas plantas vivas "
Por: -Leonardo Gottems

Uma equipe de pesquisa da Escola de Ciências Moleculares e da Vida de Curtin, do Centro de Gestão de Culturas e Doenças de Curtin (CCDM) e da Organização de Ciência e Tecnologia Nuclear da Austrália (ANSTO), trabalhou no desenvolvimento de um sistema para monitorar doenças fúngicas através de luz infravermelha. 

De acordo com o principal pesquisador da ARC-Future, Dr. Mark Hackett, a pesquisa revelou que a cera na superfície das folhas das plantas refletia comprimentos de onda específicos da luz infravermelha. “Como a camada de cera nas folhas das plantas é influenciada pela saúde da planta, podemos usar luz infravermelha para entender mais sobre como as plantas respondem à infecção por patógenos”, disse o Dr. Hackett. 

Karina Khambatta, coautora da pesquisa e estudante de doutorado, disse que as descobertas têm aplicações futuras importantes. “Esperamos que esta descoberta revele novas informações sobre o efeito das doenças nas plantas vivas e a linha do tempo através da qual as doenças afetam a fisiologia das plantas, com implicações não apenas para a agricultura, mas também para monitorar os impactos ambientais, como poluição ou mudanças climáticas.”  

Nesse cenário, o co-autor e Diretor do CCDM, Professor Mark Gibberd, disse que as descobertas demonstram a importância de abordagens multidisciplinares para a pesquisa e o papel da infraestrutura de pesquisa nacional, como o Síncrotron Australiano. “Isso é empolgante para a pesquisa do CCDM, já que o ganho genético para resistência a doenças por meio do melhoramento de plantas é fundamental para o futuro da indústria de grãos australiana. Estamos buscando ativamente novos métodos que nos permitam rastrear rapidamente grandes populações de plantas em reprodução para resistência a doenças – esta descoberta poderia realmente ajudar a entregar germoplasma melhorado aos produtores de grãos no futuro”, disse o professor Gibberd. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.