Maior processadora de cana do mundo chega a Jataí (GO)
CI
Agronegócio

Maior processadora de cana do mundo chega a Jataí (GO)

Com obras civis já em andamento, o projeto está orçado em R$ 450 mi e deve entrar em operação já no segundo semestre do próximo ano
Por:
O grupo paulista Cosan, maior produtor e processador de cana-de-açúcar do mundo, lança hoje em Jataí a pedra fundamental da primeira de três usinas que implantará no Estado. Com obras civis já em andamento - terraplenagem, fundações e bases de caldeiras -, o projeto está orçado em R$ 450 milhões e deve entrar em operação já no segundo semestre do próximo ano.


Segundo o vice-presidente da Cosan, Pedro Mizutani, a usina está dimensionada para a moagem de 4 milhões de toneladas de cana, com produção prevista de 360 milhões de litros de álcool. A empresa, que já opera na cogeração em 3 das suas 18 unidades produtoras em São Paulo, também produzirá 105 megawatts de energia elétrica na usina de Jataí, a partir da queima do bagaço e da palha da cana processada, segundo o empresário.

Expansão

De acordo com Pedro Mizutani, a Cosan implantará ainda dois outros projetos em Goiás, um em Montividiu e outro em Paraúna, totalizando um investimento de aproximadamente R$ 1,3 bilhão no Estado. Conforme o projeto de expansão do grupo, as três usinas goianas representarão um acréscimo de 25% na capacidade de moagem da empresa, que atualmente é de 44 milhões de toneladas de cana por safra.


Conforme Pedro Mizutani, a Cosan espera trabalhar com 50% de cana própria e 50% de produtores independentes, até pelo entendimento da empresa de que seus projetos devem sempre contar com a parceria da comunidade local. Segundo ele, durante a execução das obras a usina de Jataí vai gerar cerca de 1.500 empregos diretos, aos quais deverá acrescentar mais 3 mil, entre diretos e indiretos, quando estiver em plena operação.

De acordo com Pedro Mizutani, a Cosan já está em franco processo de produção de mudas e de plantio de cana em Jataí, devendo processar pelo menos 500 mil a 600 mil toneladas em 2009. Segundo ele, o grupo sempre destinou pelo menos 20% da sua produção para exportação, mas não há uma programação fixa, tudo dependendo da conjuntura do mercado. Ele admite, entretanto, que a produção da unidade de Jataí será comercializada em parte no próprio Estado, parte para outros pontos do País e também para exportação.


Toyota

A japonesa Toyota Tsusho Corp está conduzindo um estudo de viabilidade em conjunto com a Petrobras sobre a possibilidade de construir uma usina para produzir etanol no País, disse ontem um porta-voz da empres.

”Neste ponto, tudo o que podemos dizer é que estamos conduzindo um estudo de viabilidade de produzir etanol de cana-de-açúcar, junto com a Petrobras”, disse ele.

O jornal Valor Econômico havia informado na terça-feira que a Toyota Tshsho, trading do grupo Toyota, que também inclui a Toyota Motor Corp, está finalizando estudos para construir uma usina de etanol no Estado de Goiás.

A Petrobras e produtores locais seriam parceiros na nova usina, que seria construída na região de Itumbiara. A Petrobras vem analisando junto com a também japonesa Mitsui uma série de projetos para produção de etanol no Brasil visando exportação, principalmente para o mercado japonês. A primeira parceria foi assinada com a brasileira Itarumã Participações, de Goiás.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.