Mais Alimentos possibilita o plantio na hora certa para agricultores

Agronegócio

Mais Alimentos possibilita o plantio na hora certa para agricultores

Em dez meses, de Programa, já foram comercializados 11 mil tratores de até 78 cavalos
Por:
381 acessos

De Norte a Sul, o Programa Mais Alimentos, desenvolvido desde julho de 2008 pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), transforma o perfil de unidades produtivas da agricultura familiar brasileira. Esta realidade se materializa nos exemplos das famílias Maffi, de Epitaciolândia (AC), e Moraes da Silva, de Campo Belo do Sul (SC), que valeram-se da facilidade de acesso à linha de crédito (financia projetos individuais de até R$ 100 mil) e das condições de pagamento (até dez anos, com até três anos de carência, e juros de 2% ao ano) para modernizar a infraestrutura produtiva e aumentar a produtividade.

Além do Mais Alimentos, estas famílias têm em comum a origem, Santa Catarina, de onde os Maffi saíram nos anos 70 para se instalar no Acre. A princípio, se ocuparam do extrativismo da borracha. Mais tarde, passaram a se dedicar à agricultura.

Até o início deste ano, o cultivo de milho desenvolvido pelos irmãos Mário, Renato, Walmor e João Maffi dependia de máquinas e equipamentos emprestados. A possibilidade de mudar esta situação veio durante uma reunião na associação da qual fazem parte ,São Cristóvão, promovida pela Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar - Seaprof, do Acre, em parceria com agentes financeiros, prefeitura e associações. O objetivo era levar informações sobre a linha de crédito.

Elaine da Silva, responsável pelo escritório da Seaprof em Epitaciolândia, lembra que os irmãos ficaram tão interessados que pediram aos técnicos da Secretaria que voltassem a comunidade para explicar detalhadamente o Mais Alimentos. “Além dos Maffi, outros agricultores também ficaram interessados em investir mais na infraestrutura de suas propriedades com Mais Alimentos”, ressalta Elaine. A partir daí, coube aos técnicos elaborar o projeto junto com a família e encaminhar ao banco.

Trabalho em família

No caso dos irmãos Maffi, o resultado foi, literalmente, uma ação em família. Cada um dos quatro irmãos acessou R$ 100 mil e investiram em equipamentos como trator, grade niveladora, aradora, plantadeira, roçadeira, pulverizadora, cultivadora e perfuradora de solo. Entregues em abril deste ano, eles são utilizados em conjunto. “Agora, só depende da gente”, diz Renato Maffi, colocando no passado o tempo em que dependia “dos outros” para trabalhar. Por meio do Mais Alimentos, ele comprou um trator de 75 CV, uma grade e uma niveladora.

Na safra 2008/09, os irmãos Maffi produziram cerca de 400 toneladas de milho. Com os novos equipamentos, a previsão é que a produção chegue a duas mil toneladas na safra 2009/10. Mais do que isso, o Mais Alimentos está levando à diversificação aos campos de cultivo dos Maffi, uma das condições contempladas pela assistência técnica na aprovação do projeto que permitiu o acesso à linha de crédito do Programa. Essa diversificação começa com o cultivo de 10 hectares de feijão e 20 de arroz.

Pastagem garantida

No outro extremo do País, o agricultor familiar Jani Moraes da Silva, produtor de leite no município de Campo Belo do Sul (SC), também dependia de um trator emprestado, pela Prefeitura, para preparar a pastagem que alimenta o seu rebanho leiteiro. Mas o equipamento nem sempre estava à disposição quando necessário, pois era utilizado por vários agricultores.

Jani viu a oportunidade de mudança quando soube que, por meio do Mais Alimentos, poderia acessar crédito para a compra de equipamentos com preço e prazos compatíveis com seu orçamento. Com apoio do escritório municipal da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), elaborou um projeto que possibilitou a compra de um trator de 75 CV. “Este programa surgiu em boa hora. Deu tudo certo”, diz Silva, que também utiliza o trator para produzir alimentos de consumo da família, como o feijão.

Extensionista da Epagri que atendeu o agricultor, Rove Fernando Bueno explica que o trator vai proporcionar mais pastagem para alimentação do gado e, consequentemente, o aumento da produção de leite, que hoje está perto dos 100 litros por dia. Bueno prevê que, a curto prazo, a produção pode até dobrar. Tanto, que o agricultor já avalia um futuro investimento em aquisição de matrizes.

O Programa

O Mais Alimentos é uma linha de crédito de até R$ 100 mil, que podem ser pagos em até dez anos, com juros de apenas 2% ao ano e prazo de até três anos de carência para começar a pagar o financiamento. Em dez meses, de Programa, criado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), já foram comercializados 11 mil tratores de até 78 cavalos.

Além de tratores e equipamentos agrícolas, o Mais Alimentos financia projetos que contemplam galpões de armazenagem, silos, construções e maquinário para ordenha, resfriadores e correção de solo. O Pronaf Mais Alimentos atende produtores de arroz, feijão, milho, mandioca, trigo, hortigranjeiros, leite, castanha, caprinos, ovinos, café, gado para abate, suínos e aves.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink