Mais uma no time do R$ 1 bilhão

Agronegócio

Mais uma no time do R$ 1 bilhão

Dirigente da cooperativa do Norte do Paraná credita resultado à fidelidade e ao bom relacionamento com seus associados
Por:
303 acessos

O comprometimento entre cooperativa e cooperados garantiu o crescimento e a consolidação da Integrada Cooperativa Agroindustrial, com sede em Londrina (Norte). Foi esse movimento de união – que está na essência do cooperativismo – que deu fôlego para a Integrada, com menos de 14 anos de atividade, alcançar um faturamento de R$ 1,078 bilhão em 2008, ano que ficará marcado pela eclosão da crise financeira mundial que ainda reverbera na economia global. Mas para o presidente Carlos Murate a crise foi apenas mais uma das adversidades que a cooperativa enfrentou desde a sua fundação. “O faturamento recorde que atingimos em 2008 não foi apenas o resultado da boa produção que colhemos na safra passada, mas sim de todo o trabalho realizado desde o início pela cooperativa e seus cooperados. Uma força conjunta que consolidou a Integrada”, comenta Murate.

Ele conta que a cooperativa nasceu em 1995, com um grupo de 28 produtores rurais, ex-cooperados da então recém-extinta Cotia. “Alugamos a estrutura da antiga cooperativa, chamamos os funcionários que haviam perdido seus empregos, e começamos a trabalhar. Muita gente nos chamou de loucos porque internalizávamos recursos próprios, assumindo uma dívida que levaríamos gerações para pagar, caso não desse certo. Mas não tínhamos outra opção. Tinha que dar certo”, afirma.

E deu. Não só como comprova o resultado de 2008, mas principalmente os números que hoje fazem da Integrada uma das maiores e mais atuantes cooperativas do país. Hoje, a Integrada tem 52 unidades de recebimento espalhadas por 42 municípios do Norte, Norte Pioneiro e Oeste do Paraná. “Com posições geográficas distantes, os problemas climáticos não ficam concentrados. A seca que enfrentamos neste ano afetou mais os cooperados do Oeste, que do Norte, onde os produtores puderam plantar mais tarde”, analisa Murate.

A Integrada reúne atualmente 6 mil associados, que no ano passado entregaram 1,3 milhão de toneladas de grãos, volume 16% maior que na safra anterior. “Já representamos 1% da safra nacional”, comemora Murate. Foram 468 mil toneladas de soja, 522 mil toneladas de milho, 270 mil toneladas de trigo e 130 mil sacas de café beneficiadas.

O resultado do ano passado gerou sobras de R$ 8,6 milhões. Desse total, explica Murate, 50% são destinados a investimentos na melhoria e ampliação da estrutura da cooperativa e a outra metade distribuída entre os associados, conforme o volume entregue à cooperativa.

A Integrada também investe na diversificação e verticalização da produção, e agregação de valores aos produtos de seus cooperados por meio da industrialização. A Integrada anunciou, recentemente, investimentos de R$ 35 milhões na implantação de uma indústria de suco de laranja em Uraí. O empreendimento, previsto para iniciar suas operações em 2012, terá capacidade para produzir 12 mil toneladas de suco concentrado, processando 3 milhões de caixas. Para isso, observa Murate, a Integrada está formando com seus cooperados pomares da fruta. Já são 900 ha plantados, aos quais até o final deste ano devem se somar mais 700 ha de laranjais.

A Integrada mantém ainda uma indústria, em Assai, que produz mais de 5 mil toneladas de fios de algodão por ano. Em Andirá, uma unidade industrial processa 180 mil toneladas de milho que abastece diversas indústrias alimentícias. E, em Londrina, a cooperativa mantém uma fábrica de rações, que produz anualmente 25 mil toneladas.

Grupo do milhão

O Paraná possui outras cinco cooperativas com faturamento superior a R$ 1 bilhão: Coamo, Cocamar, C.Vale, Lar e Argária.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink