Mandioca: O ouro branco do Norte/ Nordeste em destaque na Fenagro
CI
Agronegócio

Mandioca: O ouro branco do Norte/ Nordeste em destaque na Fenagro

O tubérculo é matéria-prima para diversos produtos e pode ser usada para produzir desde cosméticos, a chacaça e inseticidas
Por:
O cultivo da mandioca no Nordeste é feito exclusivamente por agricultores familiares. Rica em nutrientes, a raiz possui um grande mercado, atraindo agricultores e empresários que dependem de forma direta e indiretamente do seu cultivo e comercialização. O tubérculo é matéria-prima para diversos produtos e pode ser usada para produzir desde cosméticos, a chacaça e inseticidas.


Para valorizar o trabalhador do campo, incentivar e promover a raiz e produtos derivados, a Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri) dedicou um estande na apresentação das Cadeia Produtivas para a raiz. No espaço, técnicos da da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), apresentam aos visitantes todo processo de plantação, irrigação, cultivo e curiosidades da raiz.

O engenheiro agrônomo Paulo Beline conta que a mandioca pode ser utilizada em na produção d3e vinagre, polvilho azedo e doce, beiju natural e enriquecido com suco de frutas e hortaliças, amido para fabrico de bebidas lácteas, além do preparo de água-ardente, que já é produzida no Maranhão e está em pré-projeto da EBDA, encaminhado ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) para lançamento na Bahia.


Diversos outros produtos oriundos da mandioca também ajudam na preservação do meio ambiente, objetivando a não derrubada de árvores, como: o carvão (co-produto retirado da parte lenhosa da planta, chamada cepa ou troço), e o tijolo ecológico (pois sua queima é ao sol, e não em fornos que necessitam da queima de árvores).

A água da mandioca (manipueira) serve na agricultura como pesticida, herbicida, adubação e na alimentação de animais (in natura ou com melaço); de suas folhas pode-se produzir feno, silagem (a forragem verde, suculenta, conservada por meio de um processo de fermentação anaeróbica, guardadas em silos), pellets (folha e caule prensados), entre outros.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.