Massa com algas pode combater doenças sérias

OBESIDADE

Massa com algas pode combater doenças sérias

Produto combaterá a diabetes, a obesidade e a hipertensão
Por: -Leonardo Gottems
201 acessos

Um grupo de investigadores do Instituto Politécnico de Coimbra, da Universidade de Aveiro e da empresa AlgaPlus, todos de Portugal, estão desenvolvendo uma massa com algas que poderá combater a diabetes, a obesidade e a hipertensão. Segundo o que foi divulgado pela revista Vida Rural, o alimento é inovador e poderá ser bastante útil na prevenção e tratamento de doenças. 

Isso porque, o litoral português oferece uma matéria prima bastante interessante para esse tipo de formulação, onde a utilização de algas é incorporada aos alimentos da população do país e, posteriormente, do mundo. Sendo assim, o processo ainda está em fase de pesquisa, mas os cientistas já sabem o Norte que irão seguir. 

Os responsáveis explicam que, “este projeto [HEPA – Healthier eating of pasta with algae] pretende estudar a inclusão de macroalgas marinhas portuguesas, com o objetivo de formular massas que possam potencialmente contribuir para a diminuição de diabetes, obesidade e hipertensão na população”. Além disso, “o estudo da incorporação de macroalgas em massas alimentícias para melhorar os benefícios nutricionais e de saúde destas, pode levar à produção industrial de um produto alimentar alternativo”.

De acordo com Rui Costa, coordenador da investigação, as algas que serão utilizadas para a fabricação da massa não deixam qualquer odor ou sabor característicos no alimento, ou seja, o consumidor não sentirá diferença alguma quando estiver consumindo o produto. No entanto, os benefícios poderão ser notados, segundo ele. 

“A utilização de extratos permite aumentar a concentração de nutrientes/compostos bioativos adicionados ao alimento sem detrimento do seu odor ou sabor, existindo uma forte evidência de que a sua incorporação se reflete frequentemente num incremento das características nutricionais e bioativas dos mesmos”, conclui. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink