Mato Grosso envia 700 suínos reprodutores para Argentina e intensifica exportações

Agronegócio

Mato Grosso envia 700 suínos reprodutores para Argentina e intensifica exportações

Além da carne suína, Mato Grosso está intensificando as exportações de animais reprodutores (machos e fêmeas).
Por:
668 acessos

Além da carne suína, Mato Grosso está intensificando as exportações de animais reprodutores (machos e fêmeas). Para a Argentina foram enviados em 2016 cerca de 700 animais de altíssimo valor genético. O avanço nos embarques é tido pelo setor da suinocultura mato-grossense como fruto do trabalho desempenhado pelos criadores quanto a qualidade sanitária.

Mato Grosso foi declarado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) como Estado livre de peste suína clássica (PSC). A declaração consta na Instrução Normativa nº 25, assinada pelo ministro Blairo Maggi, publicada no Diário Oficial da União do dia 20 de julho. O reconhecimento de "zona livre de peste suína clássica" é uma das lutas do setor da suinocultura em Mato Grosso. No mês de maio, Mato Grosso recebeu o status de “zona livre de peste suína clássica” durante a 84ª Sessão Geral da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), em Paris.

De acordo com a Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), o avanço dos embarques de suínos reprodutores (machos e fêmeas) é uma mostra da qualidade e maturidade do setor no Estado, bem como do trabalho desempenhado pelos criadores quanto a sanidade animal. Tal esforço abre a possibilidade para que Mato Grosso, afirma a entidade, possa firmar-se como fornecedores de suínos de alta qualidade genética.

"Ao preservarmos a qualidade sanitária do nosso rebanho de suínos podemos aumentar a competitividade de nosso produto no mercado internacional. A Acrismat, nos últimos anos vem trabalhando para o fortalecimento do sistema sanitário, e o aumento das exportações para a Argentina demonstra que estamos no caminho certo", pontua o presidente da Acrismat, Raulino Teixeira.

A Granja Dona Clara de Rondonópolis, granja multiplicadora da Agroceres PIC, é responsável pela venda dos animais para a Argentina. A granja mato-grossense foi eleita pela Agroceres PIC como uma das unidades de produção a ser realizada para fornecer os animais exportados, visto possuir alto status sanitário, além de biossegurança e reprodutores de valor genético.

"Nós somos uma das poucas granjas que possuem a certificação do Ministério da Agricultura de Granjas de Reprodutores Suínos Certificadas (GRSC), o que demonstra nosso zelo pela sanidade dos rebanhos suínos e minimiza o risco da disseminação de doenças", pontua o produtor Luis Salles.

De acordo com o gerente de produção da Agroceres PIC, Nevton Hector Brun, "O Mato Grosso desenvolve hoje uma suinocultura de excelência, com suinocultores que possuem visão empresarial e propriedades que empregam alta tecnologia e têm elevado status sanitário. Nossa ideia é ampliar a exportação de animais do Estado para outros países da América do Sul, como Bolívia e Paraguai".

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink