Mato Grosso usará barreira química contra queimadas

Agronegócio

Mato Grosso usará barreira química contra queimadas

Já está confirmada a compra de 30 toneladas do Licet-f, produto nacional que será utilizado para evitar o avanço do fogo sobre a mata
Por:
408 acessos

Ainda novidade no Brasil, o Governo de Mato Grosso resolveu investir em tecnologia para tentar combater as queimadas criminosas que atingem o Estado neste período de seca. Já está confirmada a compra de 30 toneladas do Licet-f, produto nacional que será utilizado para evitar o avanço do fogo sobre a mata. Segundo o fabricante, o Rio Sagrado Industrial Química Ltda, de Curitiba (PR), o composto químico é biodegradável, atóxico, não é corrosivo e tem a mesma viscosidade e densidade da água, o que facilita a sua aplicação por terra ou ar, e não causa danos ao ser humano e nem ao meio ambiente.

O produto atua diretamente sobre os três componentes do triângulo do fogo, ou seja, sobre o material combustível, no caso a floresta, sobre o calor e sobre o oxigênio. “No contato das chamas com a área de aplicação do produto ocorre uma liberação de gases que dificultam a presença do oxigênio circundante. Isto ocasiona uma redução do calor gerado pela combustão. Após a liberação completa dos gases, permanece sobre a vegetação um residual químico que funciona como um “isolante” térmico, fornecendo ao material combustível resistência contra as chamas”, anuncia o fabricante em seu endereço virtual. “É muito importante ressaltar que todas estas reações ocorrem ao mesmo tempo, por isso o Licet-f é tão eficiente no combate aos incêndios florestais”, completa.

Em Mato Grosso, o superintendente da Defesa Civil, major Aguinaldo Pereira, detalha que o produto possui grandes vantagens em relação aos seus principais concorrentes. Com fabricação nacional, o custo é menor, e por se tratar de um produto sólido, o transporte até pontos próximos às queimadas fica facilitado. Para se combater o fogo é necessário dissolver 250 gramas do composto a cada litro de água.

Conforme a variação da vegetação e do relevo, o químico permite que cada litro evite o avanço da queimada em uma área aproximada de três a quatro hectares. “Nós acreditamos que esta quantidade adquirida, 30 toneladas, será muito importante para evitar que as queimadas saiam do controle. Se houver necessidade, o Estado não descarta aumentar este estoque”, diz.

A aquisição da barreira química contra o avanço do fogo teve respaldo do Corpo de Bombeiros, que testou duas vezes com sucesso o produto em 2008 em áreas da Usina Itamaraty, em Nova Olímpia. Em um dos testes, um avião agrícola pulverizou cerca de 1.400 litros do Licet-f numa faixa de 50 x 10 da lavoura logo após o início de uma queima autorizada e controlada.

O primeiro uso do Licet-f em uma situação real de queimadas aconteceu no ano passado na Chapada Diamantina (BA). Entre os dias 6 e 12 de novembro de 2008, a Força Aérea Brasileira utilizou a aeronave C-130 Hércules equipada com um sistema modular de combate a incêndio aeroembarcado. Foram realizadas 14 missões durante a operação, com o lançamento de 13.000 litros da mistura água-Licet-f em cada saída, no total de 182.000 litros. Antes do uso do produto, o fogo já havia consumido cerca de um terço de um parque um ambiental.

O Preserve-MT apoia o uso de novas tecnologias para a preservação e recuperação do meio ambiente. A relação ciência e ecologia é talvez uma das alternativas para manutenção da qualidade de vida no planeta e em Mato Grosso. Faça sua parte. Ao notar focos de incêndios, denuncie os responsáveis.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink