Mercado do trigo

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia nossos Termos de Uso e Termos de Privacidade. Ao clicar em Aceitar & Fechar, você consente com a utilização de cookies.


CI
Imagem: Marcel Oliveira
CHICAGO

Mercado do trigo

As cotações do trigo em Chicago se elevaram também nesta semana
Por:

As cotações do trigo em Chicago se elevaram também nesta semana. No fechamento da quinta-feira (08) o primeiro mês cotado ficou em US$ 6,28/bushel, contra US$ 6,11 uma semana antes. O plantio do trigo de primavera, nos EUA, atingia a 3% da área esperada em 04/04, ficando dentro da média histórica.

Já os embarques de trigo por parte dos EUA subiram para 594.032 toneladas, ficando acima do esperado pelo mercado. Na semana anterior os mesmos tinham chegado a 250.100 toneladas. Com isso, em todo o ano comercial atual, os EUA já exportaram 20,9 milhões de toneladas do cereal, volume semelhante ao realizado no mesmo período do ano anterior. O principal comprador foi a China nestas semanas.

Na vizinha Argentina, diante de preços em bons níveis, a expectativa é de que o plantio de trigo na safra 2021/22 aumente. O que pode impedir esta evolução está no fato de que a moagem interna do cereal está em seu nível mais baixo nos últimos cinco anos. No Brasil, os preços do trigo continuam firmes, com a média gaúcha no balcão  fechando a semana em R$ 79,07/saco, enquanto no Paraná o produto já alcança R$ 87,00. Mesmo com um mercado em ritmo lento, os preços sobem. Em março, o preço médio do trigo disponível (negociações entre empresas) no Estado gaúcho subiu 0,6% sobre fevereiro e 61,9% sobre março de 2020. Já no Paraná a alta sobre fevereiro chegou a 2,2% e sobre março do ano passado 45,7%. No Rio Grande do Sul a média do saco de trigo neste mercado disponível bateu em R$ 87,23, enquanto no Paraná a mesma ficou em R$ 91,42. Enfim, vale destacar que, diante dos altos preços, a região de Campos Novos, em Santa Catarina, deverá igualmente aumentar a área de trigo em 2021. O incremento na venda de sementes atingiu a 60% sobre o ano anterior. Somente nesta região a área plantada deverá crescer 43%, para atingir a 10.000 hectares. É o primeiro aumento de área na região desde 2011.

Um dos atrativos está no custo de produção em relação aos preços. Em 2019 o custo total chegou a 76,3 sacos/hectare, já que o valor do produto em abril daquele ano era de R$ 42,00/saco. Em 2020 foram necessários 64,53 sacos/hectare para pagar os custos, visto que o preço em abril ficou em R$ 50,00. Agora em 2021, o custo baixou para 46,03 sacos/hectare diante de um preço, neste início de abril, de R$ 85,00/saco.

Tais custos, feitos pela Cooperativa Coopercampos, não inclui arrendamento. Dito isso, a nova safra de trigo começou a ser plantada no Paraná, com a região de  Cascavel registrando 1% de área semeada neste início de abril, segundo o Deral. A partir de agora, em o clima ajudando, o avanço da semeadura será importante. Enfim, pelo lado do consumo interno, o mercado da farinha de trigo continua preocupado, pois a demanda em março não reagiu, fato que dificulta o repasse dos preços da matéria-prima, em alta, criando problemas de viabilidade econômica aos moinhos. Esta situação pode, mais adiante, forçar um recuo nos preços do trigo aos produtores rurais, especialmente se a safra nova vier cheia.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink