Meta do CESB é contribuir para elevar a média de produção de soja
CI
Agronegócio

Meta do CESB é contribuir para elevar a média de produção de soja

Comitê aposta em fundamentos técnicos e científicos
Por:
Comitê acredita em fundamentos técnicos e científicos, com experimentação e modelagem, para explorar a produção máxima dos produtores no cultivo da leguminosa
 
Na 3ª edição do Fórum Nacional de Máxima Produtividade (Safra 2011/2012), o CESB (Comitê Estratégico Soja Brasil) apresentou uma série de fatores para elevar o patamar de produtividade da cultura da soja no Brasil, com melhores práticas agrícolas, tecnológicas e sustentáveis.
 
“Queremos estimular os produtores com fundamentos técnicos e científicos para que eles possam explorar, cada vez mais, os espaços de produção com sustentabilidade e rentabilidade”, afirma Orlando Martins, presidente do CESB. E reforça: “Nos últimos anos, a cultura da soja foi a que mais evoluiu em termos de tecnologia. Os produtores precisam realizar experimentos em suas regiões para analisarem os fatores que ajudam no aumento da produtividade da soja”.
 
Cerca de 600 pessoas compareceram ao Auditório Borboleta, no espaço de eventos Pantanal, em Cuiabá, no Mato Grosso, durante o 6º Congresso Brasileiro de Soja, para acompanhar a apresentação dos cases de sucesso dos vencedores do Desafio.
 
Representantes da Aprosoja, Syngenta, Basf e Embrapa Soja enriqueceram o debate que discutiu os resultados obtidos durante os quatro anos de existência do CESB. Para André Savino, Diretor Soja Brasil Syngenta: “Nosso interesse está no apoio ao agricultor. Assim como o CESB, nossa empresa acredita na planta como fonte para a vida. E queremos contribuir para que a produção da soja no país chegue em 4.000 kg/há em três anos”.
 
O vice-presidente da Aprosoja MT, Ricardo Tomczyk, ressaltou a importância da pesquisa científica. “É nossa responsabilidade produzir alimentos, de forma sustentável, para alimentar os sete bilhões de habitantes que existem hoje na terra. Temos que atuar como produtores para o mundo”. Eduardo Leduc, responsável por agronegócio e sustentabilidade da Basf América Latina, afirma: “Nós, na Basf, acreditamos que sustentabilidade é ciência. Nosso objetivo é possibilitar a obtenção de maior produtividade com o uso de menos terra, água, energia, garantindo a rentabilidade da agricultura, cuidando do meio ambiente e atendendo às expectativas da sociedade”. Alexandre Cattelan, chefe-geral da Embrapa Soja, comemora a participação da cadeia agrícola que esteve presente no 6º Congresso Brasileiro de Soja, com o tema Soja: integração nacional e desenvolvimento sustentável: “É uma satisfação ver tantas tecnologias e experimentos científicos sendo aplicados no campo”.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink