MG: tempo seco deve permanecer nos próximos meses
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,704 (0,05%)
| Dólar (compra) R$ 5,49 (1,59%)

Imagem: Eliza Maliszewski

PREVISÃO DO TEMPO

MG: tempo seco deve permanecer nos próximos meses

O tempo seco pode continuar nos próximos meses e a estação chuvosa deve atrasar neste ano
325 acessos

O tempo seco pode continuar nos próximos meses e a estação chuvosa deve atrasar neste ano. As condições de neutralidade devem permanecer até a próxima estação, quando poderá ter início o evento La Niña. Confira os prognósticos dos pesquisadores da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) Williams Ferreira (Embrapa Café/ Epamig) e Marcelo Ribeiro, baseados em estatísticas e no histórico da ocorrência de fenômenos climáticos globais.

Condições ENSO (El Niño-Southern Oscillation) neutras permanecem

De acordo com os principais centros internacionais de previsão climática, no presente mês as condições tanto oceânicas quanto atmosféricas continuam indicando um momento de equilíbrio, ou seja, neutralidade. É esperado que tal condição deva continuar nos próximos meses, com possibilidade do desenvolvimento futuro de um evento La Niña ao longo da primavera.

A chuva nos próximos meses

Em agosto é esperado que as chuvas ocorram abaixo da média na região Sul do Brasil, em setembro e outubro os volumes de chuva abaixo da média deverão se ampliar alcançando a região central do país e o Sudeste. Logo, no próximo trimestre os estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e a parte oeste de Minas Gerais poderão apresentar volume de chuvas abaixo da média normal para o trimestre.

Em novembro é esperado que as chuvas ocorram acima da média em todo o Rio de Janeiro, Espírito Santo, e na parte leste de Minas Gerais, principalmente na região das Matas de Minas. Todavia, é possível que nessas mesmas regiões as chuvas voltem a reduzir em dezembro. De modo geral as chuvas devem continuar ocorrendo de modo isolado nas diferentes regiões do Estado de Minas Gerais.

A temperatura nos próximos meses

Em agosto o frio poderá ser mais intenso em Minas Gerais nas porções mais ao sul do Vale do Rio Doce e no Jequitinhonha, bem como na parte mais ao sul do estado do Espirito Santo. Nas demais regiões do país as temperaturas deverão ficar dentro da média ou acima desta. Em setembro é esperado que as temperaturas ocorram dentro da média na região Sudeste e pouco acima da média na porção oeste de São Paulo, no Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. Apesar do aumento da temperatura, condição normal que ocorre ao longo da primavera, em outubro é esperado que as temperaturas ocorram dentro da média na maior parte do Brasil.

O Café

Com a aproximação do término da colheita deste ano de alta produção, os produtores devem se programar para iniciar a execução das podas o mais rápido possível. O início das podas deve ocorrer pelos talhões que já vem apresentando novas brotações e posteriormente nos talhões que apresentarem alto desfolhamento. Os tipos de poda devem ser realizados de acordo com a necessidade das plantas, fato este que deve ser identificado a partir do conhecimento do produtor. Destaca-se que poda mais utilizada, e de retorno mais rápido, é o esqueletamento.

Outra atividade que deve ser realizada neste período pós-colheita e com poucas chuvas é a calagem, a qual deve ser realizada com base nos resultados de uma análise de solos. Nesta atividade o produtor deve estar atento para que o calcário seja distribuído principalmente sob a saia do cafeeiro. A manutenção dos equipamentos como limpeza e engraxamento das máquinas de pós-colheita devem ser realizadas. Os panos de colheita, como as sacarias, devem ser limpos, esterilizados e secos para serem armazenados. Importante também neste período de chuvas abaixo da média é a realização do monitoramento do bicho-mineiro, pois os níveis de infestação podem variar em função das variações do tempo que ocorrem na presente estação climática.

Prognóstico

A análise e o prognóstico climático aqui apresentados foram elaborados com base na estatística e no histórico da ocorrência de fenômenos climáticos globais, principalmente, daqueles atuantes na América do Sul. Considerou-se também as informações disponibilizadas livremente pelo NOAA; Instituto Internacional de Pesquisas sobre Clima e Sociedade — IRI; Met Office Hadley Centre; Centro Europeu de Previsão de Tempo de Médio Prazo — ECMWF; Boletim Climático da Amazônia elaborado pela Divisão de Meteorologia (DIVMET) do Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM) e com base nos dados climáticos disponibilizados pelo INMET (5º DISME)/CPTEC-INPE. O prognóstico climático faz referência a fenômenos da natureza que apresentam características caóticas e são passíveis de mudanças drásticas. Desta forma, a Epamig e a Embrapa Café não se responsabilizam por qualquer dano e, ou, prejuízo que o usuário possa sofrer, ou vir a causar a terceiros, pelo uso indevido das informações contidas na presente matéria. Portanto, é de total responsabilidade do usuário (leitor) o uso das informações aqui disponibilizadas.

Williams Ferreira - Pesquisador da Embrapa Café/EPAMIG Sudeste na área de Agrometeorologia e Climatologia, atua principalmente em pesquisas voltadas para o tema Mudanças Climáticas Globais e cafeicultura. - williams.ferreira@embrapa.br

Marcelo Ribeiro - Pesquisador da EPAMIG na área de Fitotecnia, atua em pesquisas com a cultura do café. mribeiro@epamig.br
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink