Micróbios lidam com a mudança climática

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Leia nossos Termos de Uso e Termos de Privacidade. Ao clicar em Aceitar & Fechar, você consente com a utilização de cookies.


CI
Imagem: Pixabay
ALTERNATIVA

Micróbios lidam com a mudança climática

Uma área de grande interesse em que estão se concentrando é nas proteínas dietéticas
Por: -Leonardo Gottems

Estamos muito acostumados com o fato de que as plantas são as principais protagonistas dessa transição para a bioeconomia. No entanto, os micróbios têm muito a contribuir. Eles podem crescer com dióxido de carbono, simultaneamente produzindo bens valiosos e ao mesmo tempo removendo um gás de efeito estufa da atmosfera. 

Cientistas do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley do Departamento de Energia dos Estados Unidos (Laboratório de Berkeley) estão agindo rapidamente para tornar essa tecnologia uma realidade. Liderado pelo cientista Eric Sundstrom, pesquisador da Unidade de Desenvolvimento de Processo de Biocombustíveis e Bioprodutos Avançados (ABPDU), e pelo pesquisador de pós-doutorado Changman Kim, o projeto combina biologia e eletroquímica para produzir moléculas complexas, todas alimentadas por energia renovável. 

Com o dióxido de carbono como uma das entradas, o sistema tem o potencial de remover gases que retêm o calor da atmosfera, ou seja, uma tecnologia de emissões negativas (NET). Segundo os cientistas, praticamente qualquer produto feito pela indústria química pode encontrar uma forma de ser produzido com micróbios. Há muito poder para fazer quase tudo com a biologia. É apenas uma questão de saber se é econômico fazer isso, eles disseram. 

Uma área de grande interesse em que estão se concentrando é nas proteínas dietéticas. Por exemplo, uma levedura pode ser modificada para produzir uma proteína do leite. Assim, você pode produzir leite quimicamente idêntico ao da vaca, mas sem a necessidade do animal. "Estamos ajudando empresas que fazem todos os tipos de produtos, de proteínas dietéticas a biocombustíveis e esquis para neve de base biológica, todos usando micróbios", disse Sundtrom. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink