Milho: Queda do dólar desestimula exportações

ANÁLISE

Milho: Queda do dólar desestimula exportações

Com o dólar caindo abaixo do nível psicológico de R$ 4,00 nesta quinta
Por: -Leonardo Gottems
117 acessos

“Com o dólar caindo abaixo do nível psicológico de R$ 4,00 nesta quinta-feira os preços dos exportadores não entusiasmaram os vendedores. Ele também demonstra a queda do interesse dos compradores externos de milho brasileiro, constatada no Line-Up do milho, cujo volume diminui a cada semana”. A avaliação é do analista da T&F Consultoria Agroeconômica, Luiz Fernando Pacheco.

“No mercado interno, também, o que se percebe é uma oferta maior do que a demanda. Há mais vendedores querendo se desfazer de mercadoria do que compradores querendo adquiri-la. E isto está documentado no quadro de oferta & demanda divulgado pela Conab (Companhia Nacional de Abastacimento) na primeira semana deste mês, que foi aumentado em mais de 30%, passando de 10 milhões de tons para mais de 13 milhões de tons”, explica Pacheco. 

De acordo com ele, com tanta disponibilidade de produto é natural que ele se desvalorize, que é o que está acontecendo nos últimos 10 dias. Outro sinal de reversão para baixo na tendência dos preços é o índice Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada) para a B3 (antiga Bovespa) que, nesta quinta-feira, fechou em queda de 0,03% no dia, para R$ 39,52/saca, aumentando a queda mensal do milho no mercado futuro brasileiro para 3,84%.

“O mesmo Índice mostra que, embora tenha aumentado 0,26% nesta quinta-feira, a queda mensal é maior, situando-se em 4,68% para R$ 38,87/saca, nível mais baixo do que a própria cotação do mercado futuro”, conclui o analista da T&F Consultoria Agroeconômica.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink