Milho B3 fecha misto; Fundamentos seguem positivos
CI
Imagem: Leonardo Gottems
ANÁLISE AGROLINK

Milho B3 fecha misto; Fundamentos seguem positivos

Nível do preço começa a fincar insustentável para os consumidores finais
Por: -Leonardo Gottems

O mercado de milho na Bolsa B3 de São Paulo fechou misto nesta quinta-feira (18 de Fevereiro), seguindo um pouco mais a Bolsa de Chicago e o aumento de estoques da Conab. De acordo com o Departamento de análise de mercado da Consultoria TF Agroeconômica, porém, o milho ainda é impulsionado pela escassez de produto nos dois estados do Sul, apesar da colheita e dos washouts gaúchos.

Com isto, a cotação de março recuou R$ 0,18 no dia para R$ 86,66; a de maio avançou R$ 0,30 no dia para R$ 85,30 e a de julho avançou R$ 0,88 no dia para R$ 79,33. “Mesmo com o aumento da disponibilidade nos estados do Sul, com a colheita da safra de verão e dos washouts feitos com alguns lotes de exportação do RS, que estão fazendo as cotações andarem de lado em fevereiro, os fundamentos de longo prazo seguem ainda indicando viés de alta”, aponta a equipe da TF.

O único movimento contrário, de acordo com os analistas da Consultoria, é o próprio nível do preço, que começa a fincar insustentável para os consumidores finais, principalmente de ovos e leite, que não podem repassar os ganhos cambiais das carnes.

CHICAGO

Os futuros de milho continuaram a cair na Bolsa de Chicago (CBOT), uma vez que uma queda na produção de etanol foi suplantada por novas previsões do USDA de mais de 1% na área plantada para 2021/22. No fechamento, o contrato de março estava mudando de mãos a US$ 5.484/bu, abaixo de US$ 0,044/bu no dia e com o contrato de maio sendo negociado a US$ 5,47/bu, queda de US$ 0,036/bu.

“O USDA deu ao mercado um primeiro vislumbre de seu pensamento em relação ao próximo ano de marketing. E após um aumento dramático para os preços do milho e da soja nos últimos meses, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos realmente aumentou suas próprias estimativas para a área plantada. O USDA espera que a área plantada de milho em 2021/22 atinja 92 milhões de acres, um aumento de 1,2 milhão de acres em relação ao ano anterior. O resultado foi uma pressão forte sobre as cotações do milho em Chicago nesta quinta-feira”, aponta a TF.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink