Milho internacional: Preços de exportação sobem no Brasil
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,806 (4,73%)
| Dólar (compra) R$ 5,62 (-0,44%)

Imagem: Divulgação

COMÉRCIO

Milho internacional: Preços de exportação sobem no Brasil

“Os registros de exportação da Argentina foram triviais"
Por: -Leonardo Gottems
328 acessos

Os preços e prêmios de exportação do milho no Brasil subiram forte nesta segunda-feira, de acordo com informações divulgadas pela T&F Consultoria Agroeconomica. “Nesta segunda-feira foram vistas as ofertas saltarem para mais de 100 centavos, com os negócios para todos os meses de carregamento das posições  FOB  Santos  2020  seguindo  até  o  nível  de  100  centavos,  enquanto  os  preços  domésticos  também  começaram  a  subir  mais acentuadamente, elevando-se de  R$ 49/saca, o índice do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada)  para R$50,79/saca, um aumento de  quase 5%  em pouco mais de uma semana”, comenta. 

“Os registros de exportação da Argentina foram triviais e os principais dados divulgados para os próximos dias serão todos dos EUA novamente – o México se tornou o mais recente comprador de vendas privadas de 2020 com 117 mil toneladas reveladas no final da semana passada”, completa. 

Os dados de inspeção de exportação ficaram em 716,10 mil tons, abaixo da menor expectativa do mercado, que estava entre 750 mil toneladas e 1,1 milhões de toneladas à medida que o ano de comercialização diminui. “Ainda hoje, espera-se que o relatório de progresso da cultura tome a última temperatura do desenvolvimento da safra atual, enquanto a produção de DDGS dos EUA e o  etanol para junho provavelmente  confirmarão parte  da recuperação da indústria quando o relatório de esmagamento de grãos e subprodutos for divulgado”, indica. 

Nos Estados Unidos, as condições permaneceram inalteradas na semana passada. “O  relatório  de  acompanhamento  das  culturas,  divulgado  nesta  segunda-feira  pelo  USDA  registrou  que  a  soma  dos  percentuais  de “bom/excelente” das lavouras de milho nos Estados Unidos continua em 72%, mesmo percentual da semana passada, mas 15 p.p. à frente dos percentuais da mesma semana do ano passado”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink