Milho volta a fechar em alta na B3
CI
Imagem: Eliza Maliszewski
PREÇOS

Milho volta a fechar em alta na B3 

Primeiro fator de alta é a grande escassez do produto
Por: -Leonardo Gottems

O mercado de milho na B3 de São Paulo voltou a fechar em alta nesta sexta-feira para todos os seus meses, seguindo a alta de Chicago e do dólar, segundo informou a TF Agroeconômica. “Com isto, a cotação de maio fechou em alta de R$ 1,18 no dia e R$1,75 na semana a R$ 94,53; a de julho avançou R$ 0,73 no dia e R$ 0,87 na semana para R$ 89,65 e a de setembro fechou em alta de R$ 0,79 no dia e R$ 1,57 na semana a R$ 84,48”, comenta. 

“Os fatores de alta, são: 

 a) a grande escassez do produto, com a safra de verão menor do que a do ano anterior; 

b)  alta  do  dólar,  que  puxa  as  exportações  e  pode enxugara pouca disponibilidade interna. São dois os fatores que pressionam os preços: a) o seu próprio nível muito elevado, que pede cautela nos avanços daqui para frente, apesar de que, no mercado físico de SC e SP os preços já tenham atingido ou até ultrapassado R$ 90,00/saca; 

c)  os  dados  do  último  relatório  mensal  da  Conab,  que  elevou  os  estoques  finais  para  mais  de  2,0  milhões  de toneladas, o que é inédito nos últimos anos e traz  um pouco mais de tranquilidade para alguns compradores”. 

Em Chicago, as compras de oportunidades permitiram lucro, depois das quedas do dia anterior. “O petróleo em recuperação proporcionou firmeza. Perspectivas de aumento da área a  ser  plantada  sejam  semeadas  para  a  nova  safra americana condicionada os preços”, indica. 

“Com os preços do trigo para ração competitivos agora nos  mercados  de  destino,  o  tom  mais  firme  do  trigo forneceu algum suporte para cima, mas os ganhos foram todos  amplamente  focados  nos  contratos  futuros  de 2020/21  restantes  -  sugerindo  que  o  mercado  está levando  em  consideração  o  impacto  de  um  dólar mais fraco  potencialmente ajudando  um  grande  impulso de exportação neste ano de comercialização”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink