Morte súbita atinge novos laranjais em São Paulo
CI
Agronegócio

Morte súbita atinge novos laranjais em São Paulo

Por:

A morte súbita, doença que vem assustando os citricultores nos últimos anos, atingiu as plantações de duas cidades da região de Ribeirão Preto: Bebedouro e Monte Azul Paulista.

A constatação é do Fundecitrus (Fundo de Defesa da Citricultura), que também verificou a doença em mais quatro cidades do Estado. No total, a morte súbita já atinge 29 cidades, 18 delas no Estado de São Paulo, maior produtor de laranja do país.

Visando conter o avanço da doença, a Secretaria Estadual da Agricultura anunciou nesta segunda-feira (03-11) uma linha de crédito exclusiva. A verba total a ser liberada para o projeto “Sub-Enxertia dos Citros para Controle da Morte Súbita”, será de R$ 2 milhões, sendo que a metade desse valor será disponibilizada ainda este ano.

Desde que surgiram os primeiros registros da morte súbita, no Norte de Minas Gerais, os citricultores já acumulam um prejuízo de R$ 20 milhões. O Ministério da Agricultura já liberou cerca de R$ 1,5 milhão para os estudos sobre doença.

Segundo o engenheiro agrônomo da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral, em Campinas (Cati), Haroldo Tozin, o vetor da morte súbita ainda não é conhecido, o que dificulta o combate à doença. “Segundo as pesquisas, a hipótese mais provável é que o vetor seja aéreo, possivelmente pulgões. A doença é uma ameaça real para todo o estado e os citricultores devem estar atentos”, disse.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink