Movimento protetor das abelhas não tem precedentes no mundo
CI
Imagem: Pixabay
COLMEIA VIVA

Movimento protetor das abelhas não tem precedentes no mundo

“Avançamos para proteger cultivos e abelhas, respeitando a apicultura, o meio ambiente e também o direito básico de alimentação"
Por: -Leonardo Gottems

O Movimento Colmeia Viva entregou o ‘Compromisso 2020’ em um encontro ancorado pelos coordenadores do movimento, fundado por 14 empresas do setor de defensivos do Brasil, onde recebeu entidades parceiras como o Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) e Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos Agrícolas e Veterinários (Andav), autoridades do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e representantes de órgãos estaduais de fiscalização.

“Missão cumprida”, celebrou o médico veterinário Daniel Espanholeto, coordenador do movimento. “Avançamos para proteger cultivos e abelhas, respeitando a apicultura, o meio ambiente e também o direito básico de alimentação das pessoas”, acrescentou a engenheira agrônoma Rhaissa Michievicy, igualmente à frente do movimento no ciclo 2017-2020.

De acordo com o professor Osmar Malaspina, da Unesp de Rio Claro-SP, que junto à sua colega Roberta Nocelli, da Universidade Federal de São Carlos-SP (UFSCar), participou da iniciativa de pesquisa Mapeamento de Abelhas Participativo (MAP), realizada em 2014, destacou a relevância desta ação. O MAP trouxe à luz as principais causas de mortalidade de abelhas, observadas em cerca de 80 municípios paulistas, envolvendo quase 200 agricultores e apicultores.

“O conhecimento produzido pelo MAP não encontra precedente em lugar nenhum do mundo. Faço um apelo ao setor apícola para que seja menos restritivo à aproximação com agricultores. Aqueles que aderiram ao projeto estão hoje produzindo mais, ampliando benefícios dessa relação. Que possamos avançar mais nessa questão nos próximos anos”, frisou Malaspina.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink