MS: 40% da colheita de algodão já está comercializada
CI
Imagem: Pixabay
2021/22

MS: 40% da colheita de algodão já está comercializada

Colheita iniciou no norte e nordeste do MS
Por: -Aline Merladete

A colheita da safra 2021//22 do algodão começou nas regiões norte e nordeste de Mato Grosso do Sul. As regiões se juntam ao sul do estado que já colhe desde o final de abril. Ao todo, as colheitadeiras que já estão nos campos, irão colher uma área plantada que chega a 26.148 hectares. A informação é da equipe técnica da Associação Sul-Mato-Grossense dos Produtores de Algodão (Ampasul).

De acordo com as informações da Associação, a expectativa é de uma produtividade de 300 arrobas de algodão em caroço por hectare, enquanto a estimativa de produção da pluma chega acima de 48 mil toneladas. Em relação às negociações, cerca de 40% da produção já está comercializada. A Ampasul informou também que a produtividade da região sul, será menor quando comparada com a safra anterior, devido a forte estiagem que atingiu a região, provocando a paralisação do crescimento das plantas, consequentemente baixando o número de posições esperado.

“Chegamos a mais uma colheita de safra, que deve ganhar ritmo nas próximas semanas. Algumas regiões como Aral Moreira, sofreram com a falta de chuva, principalmente na fase de crescimento da planta. Nossa equipe de campo seguirá acompanhando o progresso da colheita, fazendo as análises e avaliações e claro dando todo o suporte necessário para os produtores rurais”, detalha o diretor executivo da Ampasul, Adão Hoffmann.

De Associaação alertou os produtores, sobre o possível aumento no custo de produção do algodão para a safra 2022/2023. Aumento que o produtor já sentiu no bolso, durante a atual safra, devido todo o contexto global, que elevou os preços das matérias primas essenciais para a produção do algodão brasileiro.

“O aumento foi significativo e refletiu diretamente no bolso dos produtores. Só nos fertilizantes, que representa 17% do custo operacional, tivemos uma alta superior a 100%, como mostra o levantamento da Abrapa. Infelizmente a tendência é de custos ainda mais altos, para a próxima safra, ampliando o risco da atividade. A orientação é o produtor já garantir a compra dos seus insumos”, finalizou Hoffmann.

As informaçóes foram divulgadas pela Ampasul.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.