MVO, congênere da ABIOVE na Holanda, analisa o Programa Soja Plus
CI
Agronegócio

MVO, congênere da ABIOVE na Holanda, analisa o Programa Soja Plus

A MVO diz que a ABIOVE e a APROSOJA estão determinadas a fazer do Soja Plus um instrumento de sucesso
Por:
The Product Board for Margarine, Fats and Oils (MVO), entidade holandesa congênere da ABIOVE, publicou recentemente informações sobre o Programa Soja Plus e o seu 2º Seminário Anual realizado em Brasília, no dia 3 de abril. Para mais informações sobre a entidade, clique em http://www.mvo.nl/Organisatie/tabid/56/language/en-US/Default.aspx.

A MVO diz que a ABIOVE e a APROSOJA estão determinadas a fazer do Soja Plus um instrumento de sucesso para tornar toda a cadeia produtiva da soja mais sustentável. “Os principais objetivos são melhorar a qualidade de vida dos produtores e promover o desenvolvimento econômico com responsabilidade social”.

A entidade holandesa diz que o Soja Plus foi criado como contrapartida às iniciativas existentes relacionadas à sustentabilidade na área de soja, como o RTRS (Mesa Redonda da Soja Responsável). A MVO, em sua análise sobre o programa, não menciona explicitamente o pilar ambiental do Soja Plus, destacando o pilar econômico.

“A ABIOVE enfatizou que o principal propósito do Soja Plus é produzir soja dentro dos limites permitidos pela legislação brasileira. A principal prioridade do Soja Plus é oferecer treinamento técnico para pequenos produtores. Na indústria da soja existe frustração com as legislações ambientais e trabalhistas brasileiras restritas comparadas às de outros países”, cita o informativo da MVO.

Segundo a APROSOJA, “hoje em dia os produtores não podem deixar de investir em sustentabilidade e isso se tornou uma necessidade. “Eles vão investir R$1,5 milhão neste ano no programa, cerca de 650.000 euros”, menciona a MVO.

A congênere da ABIOVE questiona: “como o Soja Plus não é um esquema de certificação, e não existe penalidade em caso de descumprimento, a questão que ainda permanece é o que exatamente significa “plus”. Diz a MVO: “parece que é porque os produtores, por meio da formação que recebem, estão aumentando sua consciência sobre as possibilidades de cultivar soja de modo sustentável. Os produtores, em especial os menores, passam a conhecer os requisitos estabelecidos pelos países para as importações e isso é útil se quiserem vender a sua soja no exterior. Desde o início do programa, milhares de agricultores participaram de cursos e dias de campo do Soja Plus. Vídeos educativos e manuais foram distribuídos. Além disso, um centro de saúde foi criado. A iniciativa, portanto, parece ter um impacto principalmente sobre a sustentabilidade econômica, e não a relacionada com o lado social ou ambiental”.

Com relação ao Código Florestal, todos os oradores do Seminário Soja Plus concordaram: “a lei deve ser aprovada ainda neste mês. As alterações na legislação agrícola e ambiental irão modernizá-la e torná-la mais sustentável, de acordo com a APROSOJA”.

O informativo da MVO menciona a palestra do chefe da assessoria jurídica da CNA, Cristiano Zaranza: “ele fez uma apresentação sobre a atual legislação trabalhista, que não é clara. Por exemplo, coexistem duas legislações – a NR7 e a NR31 – e há incertezas sobre qual delas deve ser aplicada em certas situações”.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink