Negócios com sabor de vinho

ESPECIAL

Negócios com sabor de vinho

Brasileiros estão cada vez mais interessados pela bebida o que favorece desenvolvimento da atividade
Por: -Eliza Maliszewski
399 acessos

Um bom vinho harmoniza com história. Os relatos do surgimento da bebida são até de 7 mil a.C e está presente até hoje cada vez mais sofisticado e, ao mesmo tempo, acessível a todos paladares e bolsos. Um bom vinho também harmoniza com tecnologia. A atividade que era marcada pela presença da família na lavoura hoje com modernas técnicas de monitoramento de lotes, para render vinhos especiais. Um bom vinho harmoniza com qualidade. O brasileiro está descobrindo este sabor. Por ser um país tropical ainda há a tradição de bebidas como a cerveja, em dias mais quentes. Cultura que vem mudando com a promoção de espumantes nacionais de alto nível.

Um bom vinho harmoniza com qualificação. O Rio Grande do Sul concentra cerca de 90% da produção nacional, com 400 vinícolas ativas, principalmente nas regiões da Serra e Campanha. A maioria são pequenos e médios produtores que também produzem sucos e usam a uva para diversificar a produção. O programa Juntos para competir do Sebrae, Farsul e Senar auxilia na capacitação do produtores englobando a cadeia desde o campo, passando pela indústria até chegar a venda, com foco em ampliar e desenvolver o potencial do negócio. Um bom vinho, é claro, harmoniza com negócios. É isso que 300 marcas buscaram na maior feira profissional de vinhos da América Latina: a Wine South América, que teve como palco Bento Gonçalves (RS), de 25 a 27 de setembro.

Mercado aquecido

A Wine South América recebeu expositores brasileiros, com produtores do estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Bahia. Entre os expositores internacionais marcas da Espanha, Itália, Áustria, França. Eslovênia, Líbano, África do Sul, Argentina, Chile, Estados Unidos e Uruguai. Das marcas um quarto é estreante na feira, o que mostra que o mercado de vinhos tintos e brancos, rosés e espumantes vem crescendo. Kelli Lopes, expositora da Itália, diz que o brasileiro gosta de vinho encorpado, como o Merlot. A vinícola que ela representa já tem mais de 30 anos mas descobriu o Brasil há apenas dois. “Temos que tirar esse glamour de que o vinho é produto inacessível. Todo mundo pode apreciar”, destaca.

A feira recebeu mais de seis mil visitantes e compradores de todos os estados brasileiros e de 20 países. Eles puderam conhecer, degustar e trocar informações importantes. “Olhamos os corredores e estão cheios. Temos produtos nacionais muito bons, internacionais muito bons, palestras , treinamentos e premiações que reconhecem o valor do produto”, ressalta Jussara Konrad, gestora da feira. 

A taça a um toque na tela

Outro setor que está com tudo é o e-commerce de vinhos. O Brasil já o terceiro maior comprador mundial de vinhos online. Quase um terço das garrafas são compradas deste modo, só ficando atrás da China e do Reino Unido. É um em cada quatro brasileiros que já recorreu à web para comprar um vinho. Preços, variedades e comodidade de receber o produto em casa são os fatores que mais movimentam esse segmento. 

Existem cerca de 8 milhões de consumidores de vinho online, sendo que 1,7 milhão faz compras com frequência. As vendas cresceram 40%.

Uva sustentável

É cada vez mais crescente o número de produtores que usam o mínimo necessário de fungicidas e inseticidas no processo de produção. Desta forma fica assegurada a segurança alimentar do produto. Na vinícola Casa Valduga, que funciona há 140 anos no Vale dos Vinhedos, já são 7 anos sem uso do herbicida. “O nosso consumidor está cada vez mais exigente e a preocupação com o meio ambiente está no nosso planejamento.  Os agroquímicos que usamos estão devidamente regulamentados dentro das normas estabelecidas pelo Ministério da Agricultura. Não há boa qualidade se não há preocupação com a qualidade da uva”, conta Lucas Simões, enólogo da vinícola.

Segundo dados do Sistema de Cadastro Vinícola (Sisdevin) nesta temporada a produção chegou a 404,7 mil toneladas, uma redução de quase 40%, muito em função do clima e do granizo que destruiu a plantação em algumas regiões. Desta forma a produção de vinhos também reduziu em 29,1%. Já a safra anterior, 2018, foi considerada a melhor da década, com clima perfeito que garantiu vinhos e espumantes reconhecidos.

Fomos conhecer como funciona uma vinícola e as novidades apresentadas na Wine South América. Confira no vídeo:



Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink