Novos métodos para a análise de pescados inibem fraudes

Agronegócio

Novos métodos para a análise de pescados inibem fraudes

Testes oferecerão mais segurança para os consumidores e exportações para novos países
Por:
3589 acessos
Os testes laboratoriais também oferecerão mais segurança alimentar para os consumidores e permitirão exportações para novos países

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento aprovou os novos métodos analíticos oficiais físico-químicos para o controle de pescado e seus derivados. As regras foram publicadas no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 3 de junho.

Além de descrever os processos de colheita de amostras, a Instrução Normativa nº 25 define dois novos métodos de análise para desglaciamento e histamina. Os exames de desglaciamento visam inibir fraudes econômicas na venda dos produtos, pois o gelo utilizado na conservação do peixe deve ser descontado do peso final cobrado do consumidor. O teste de histamina – toxina que causa uma doença conhecida como Escombrotoxicose capaz de provocar alergias – indica se houve falhas higiênico-sanitárias no processamento ou na armazenagem do pescado.


Segundo a responsável técnica pela área físico-química de produtos de origem animal , microbiologia de alimentos e ração animal do Ministério da Agricultura, Josinete Barros de Freitas, além de trazer mais segurança alimentar para a sociedade, a norma abrirá novos mercados para os produtos brasileiros. Os países da União Européia, por exemplo, exigem o resultado prévio da análise para histamina antes do embarque.

A metodologia foi desenvolvida ao longo de três anos por especialistas da área de físico-química de alimentos de origem animal do Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro), de Pernambuco, e deverá ser incluída em um manual após a sua publicação. Com as novas técnicas, os resultados da análise deverão ser obtidos dentro de dois dias. O trabalho é liderado pela Coordenação-Geral de Apoio Laboratorial da Secretaria de Defesa Agropecuária (CGAL/SDA).


As avaliações serão realizadas nos seis Lanagros – localizados em Goiás, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Pará, Minas Gerais e São Paulo – e nos 22 laboratórios pertencentes à Rede Nacional de Laboratórios Agropecuários do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária. Entre janeiro e março deste ano foram analisadas 706 amostras coletadas pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF) nas unidades do Lanagro.

Saiba mais

Glaciamento: processo legalmente utilizado pelas empresas no qual se adiciona uma camada de gelo ao pescado congelado, que tem a função de proteção do produto contra a desidratação e oxidação pelo frio. O peso deste gelo deve ser descontado do peso final do produto, de forma que o peso líquido declarado ao consumidor seja o peso efetivo do pescado, isto é, descontado do peso da água utilizada no procedimento.


Histamina: substância produzida naturalmente por alguns tipos de pescado, que pode causar reações alérgicas se estiver presente em grande quantidade. No caso do Brasil, o principal peixe comercial que contém a histamina é o atum. O controle de temperatura do pescado evita que a substância seja produzida em quantidades prejudiciais ao consumidor.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink