Números da cana-de-açúcar geram polêmica
CI
Agronegócio

Números da cana-de-açúcar geram polêmica

Entidades do setor discordam da Conab e garantem que em Mato Grosso a produção cresceu
Por:
De acordo com o último levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção nacional de cana-de-açúcar a ser moída pela indústria sucroalcooleira na safra 2011/2012 deve ter uma queda de 8,4% em relação à safra anterior. O que significa que a produção - que foi de 623,905 milhões de toneladas no ano passado - caiu para 571,471 milhões de toneladas. No âmbito de um programa de cooperação com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Conab realizou entre os dias 28 de outubro e 12 de novembro de 2011, o terceiro levantamento da safra 2011/12 de cana-de-açúcar. Nesta etapa, foram visitadas todas as unidades de produção sucroalcooleira com produção efetiva situadas nos vários Estados produtores do país.


Em relação aos aspectos agronômicos, as lavouras de cana-de-açúcar apresentaram nesta safra um  desenvolvimento aquém do ideal e inferior ao da safra passada, levando a uma produtividade menor que a estimada inicialmente pelos produtores. Segundo levantamanto da Conab, as causas foram diversas, mas o clima foi o principal causador da queda da produção em conseqüência das adversidades ocorridas a partir do mês de abril até outubro de 2010, com chuvas escassas em toda a região Centro-Oeste e Sudeste. Este comportamento do clima prejudicou a brotação e o desenvolvimento da cana, tanto nas áreas colhidas, como naquelas de renovação e expansão.

A conclusão da colheita na maioria das unidades ocorreu na primeira quinzena de novembro, com isso, a cana que estava em ponto de corte foi totalmente moída, não sobrando praticamente nada (cana bisada) para moer este ano, diferente do que aconteceu na safra anterior, quando o excesso de chuva no período de colheita fez com que sobrasse muita cana, que foi moída na safra seguinte.


Em Mato Grosso, segundo o diretor executivo do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras (Sindalcool), Jorge dos Santos, a produção de cana deve aumentar. “Nós não estamos de acordo com estes números divulgados pela Conab, não sabemos os critérios que eles utilizam, mas preferimos trabalhar conforme os dados que nos são passados pelas indústrias. Os quais são os mesmos que enviamos para o Mapa. Sendo que a partir do levantamento que fizemos neste mês de dezembro, nossa produção saiu de 13,67 milhões de toneladas na safra 2009/2010, para 13,90 na safra 2010/2011”.

Santos disse ainda que provavelmente a Conab não incluiu nos seus levantamentos a produção da ETH Bionergia, empresa que iniciou suas atividades neste ano e moeu aproximadamente 450 mil toneladas. O diretor do Sindalcool disse ainda que o Estado tem representação de 2% na produção nacional de cana-de-açúcar, somando 14,2 milhões de toneladas já para a Safra 2011/2012. Sendo que no Brasil são aproximadamente 640 milhões de toneladas produzidas anualmente. Outro problema apontado no setor sucroalcooleiro mato-grossense é que não há linhas de financiamento adequadas para renovar a plantação, o que pode causa prejuízos sérios no futuro. Assim, o setor espera urgentemente a intervenção do governo para iniciar a recuperação das áreas plantadas. Conforme o diretor executivo do Sindalcool, na safra 2011/2012 os produtores do estado renovaram apenas 20 mil hectares, isso com recursos próprios.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.