Parceria busca melhorar cultivo do algodão com culturas alimentares no Sertão paraibano
CI
Imagem: Divulgação
AGRICULTURA

Parceria busca melhorar cultivo do algodão com culturas alimentares no Sertão paraibano

O projeto foi iniciado no ano passado e terá duração de quatro anos
Por:

A Embrapa Algodão, em parceria com a Associação dos Pequenos Produtores de Serrinha, no município de Bom Sucesso, PB e a Santa Luzia Redes e Decoração (São Bento, PB), estão realizando um projeto de inovação social, com o objetivo de desenvolver um sistema de produção para o cultivo do algodoeiro com culturas alimentares no Sertão paraibano. Também são parceiros do projeto a Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), a Organização das Cooperativas do Brasil (OCB) e o Sebrae. O projeto foi iniciado no ano passado e terá duração de quatro anos.

“O projeto está ancorado em três eixos básicos: aprimoramento das tecnologias agrícolas; capacitação dos agricultores, e avaliação socioeconômica do sistema de produção”, conta o pesquisador Francisco Farias, da Embrapa Algodão, que coordena o projeto. 

Aprimoramento de tecnologias

No eixo de aprimoramento de tecnologias, o projeto realizará avaliação de novas cultivares de algodão de coloração branca e colorida. “Nós vamos disponibilizar novas variedades, com melhor qualidade de fibra, e maior produtividade aos pequenos produtores”, afirma Farias. “Também vamos realizar a definição de uma adubação orgânica sustentável, visando aumentar a produtividade”, acrescenta. Outro ponto importante do projeto será a adaptação da colheita mecanizada para a agricultura familiar. A Embrapa já está em fase final de desenvolvimento de uma colheitadeira de uma linha que será testada no Sertão paraibano. 

“Também vamos realizar a indicação de uma irrigação suplementar visando minimizar os efeitos da estiagem. Com essa irrigação de suplementação, esperamos que o produtor consiga fechar o ciclo e produzir mais”, diz. O projeto ainda irá definir um sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP), integrando a cultura do algodão, no âmbito da agricultura familiar. Também está prevista a criação de um banco de sementes de algodão orgânico.

Capacitação

No eixo da capacitação, serão treinados 200 agricultores, nas áreas de negócios, empreendedorismo e cooperativismo, sempre com foco no sistema de produção orgânica do algodoeiro.

Avaliação socioeconômica

O terceiro eixo e último eixo será a avaliação socioeconômica para obter um estudo da viabilidade técnica, econômica e social do sistema de produção. “Vamos saber qual é o custo de produção dos pequenos produtores, qual a renda líquida e o que pode ser feito para melhorar essa rentabilidade”, adianta o pesquisador.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.