Parlamentares vão discutir com Patriota situação de brasileiros no Paraguai
CI
Agronegócio

Parlamentares vão discutir com Patriota situação de brasileiros no Paraguai

Cerca de 350 mil brasileiros vivem no Paraguai, a maioria é agricultor
Por:
Cerca de 350 mil brasileiros vivem no Paraguai, a maioria é agricultor

Integrantes da Representação Brasileira no Parlamento do Mercosul (Parlasul) e o ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, avaliam, na quinta-feira (16), os problemas que estão sendo enfrentados por agricultores brasileiros que têm fazendas no Paraguai – os chamados brasiguaios. O horário e o local da reunião ainda não foram definidos.

Desde o fim de janeiro, os brasiguaios e os carperos, como são conhecidos os sem-terra paraguaios, estão em conflito na região de Santa Rosa del Monday, no Alto Paraná. Os sem-terra paraguaios argumentam que os brasileiros ocuparam irregularmente terras que seriam destinadas à reforma agrária. Os produtores brasileiros negam que as terras sejam irregulares.
“O conflito entre brasileiros que residem no Paraguai e agricultores sem terra paraguaios vem se arrastando há bastante tempo. A situação, hoje, alcançou um estágio extremo e merece atenção especial por parte das autoridades brasileiras”, disse o deputado Roberto Freire (PPS-SP). Freire é autor de um requerimento para discutir o assunto com Patriota. A vinda do ministro, no entanto, foi decidida por um acordo entre os parlamentares da representação brasileira no Parlasul.

O parlamentar ressaltou que o governo paraguaio está empenhado em atender às demandas locais de reforma agrária, ao mesmo tempo em que busca uma solução pacífica para a questão dos brasiguaios, "dentro da lei e com respeito à propriedade privada e a garantia à segurança dos colonos no Paraguai". A Justiça paraguaia determinou a retirada dos carperos que invadiram propriedades brasileiras.

Na semana passada, o presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, deputado Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO), pediu a intervenção do governo brasileiro para solucionar o problema.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.