Pequeno inseto que abala estruturas

Agronegócio

Pequeno inseto que abala estruturas

O cupim é conhecido por consumir a madeira de móveis
Por:
951 acessos

O cupim é conhecido por consumir a madeira de móveis, mas também se instala na base de edificações e compromete as estruturas de prédios e casas.

Quem mora nos grandes centros urbanos certamente já percebeu aquela poerinha embaixo dos móveis de madeira que faz lembrar que um cupim andou por ali. Este inseto, conhecido por devorar a madeira por onde passa, pode também representar um perigo para as estruturas de prédios e casas, pois se instala dentro do concreto e pode provocar uma verdadeira erosão estrutural.

“Tudo começa na estrutura das obras, que frequentemente são executadas em terrenos com restos de celulose – alimento preferido do inseto –, oriundos da madeira usada durante a obra ou até mesmo raízes de árvores mortas e entulhos”, explica o engenheiro Antônio Carlos Kreme, que utiliza um sistema subterrâneo de barreira química contra cupins para os alicerces de edificações.

E não são poucas as construções afetadas pelo país, uma pesquisa recente da Universidade de Piracicaba vistoriou 40 imóveis residenciais, dos quais 28 (70%) tinham incidência de cupins estruturais. Nas edificações comerciais, o percentual é similar, com oito entre cada 12 ocorrências, quase 67% do total.

Segundo Kreme, o mais difícil é detectar este tipo de cupim pois, ao contrário daqueles que vivem em móveis, eles fazem túneis em muros ou paredes, invadindo a casa quando já há colônias inteiras por baixo da edificação.  “A presença dos cupins tem aumentado muito por causa das práticas construtivas existentes, que usam muita madeira, e a falta de um projeto preventivo eficaz”, explica.

Solução

Ter a fundação do prédio ou casa bem calculada ou uma construção bem executada podem não ser os únicos elementos que devem ser levados em conta na obra. A gerente de pesquisa e desenvolvimento da Dexter Latina, Francinea Souza, explica que é importante que as edificações recebam na estrutura uma barreira química que vai impedir que os insetos criem colônias subterrâneas difíceis de exterminar.

“Ainda é baixa a frequência de pré-inspeção para a realização do tratamento de barreira química nas edificações, especialmente para as residenciais, mas temos cada vez mais terrenos com infestações, mesmo já dispondo de tecnologia moderna no mercado para evitar isso”, complementa. “O Termifin, por exemplo, é um inseticida que é formulado sem qualquer derivado de petróleo e é solúvel em água, diferente do que havia anteriormente no mercado, o que o torna muito menos agressivo ao meio ambiente e altamente preventivo”, diz.

O produto é um inseticida de efeito prolongado que combate diversas pragas urbanas, entre elas cupim, baratas, formigas, aranhas, pulgas e carrapatos, e pode ser encontrado em lojas especializadas em produtos para agropecuária e materiais de construção. “Esse é um exemplo claro de que é melhor prevenir do que remediar, mas tem que começar pela construção civil para que os futuros moradores não tenham dor de cabeça”, destaca Francinea.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink