Pesquisadores do IMAmt vão à Austrália para estudar produção de algodão
CI
Agronegócio

Pesquisadores do IMAmt vão à Austrália para estudar produção de algodão

Modelo é reconhecido mundialmente pela organização
Por:
No próximo sábado (30/03), um grupo de pesquisadores do Instituto Mato-grossense do Algodão – IMAmt desembarcará na Austrália para conhecer de perto o modelo australiano de cultivo de algodão, reconhecido mundialmente como um dos mais organizados, especialmente no que diz respeito ao manejo integrado de pragas (MIP). Nesse último aspecto, a Austrália é um exemplo a ser seguido, uma vez que convive e maneja lagartas-praga do gênero Helicoverpa de maneira eficiente – gênero de lagarta, que tem incidido com maior frequência e causado perdas em diversos cultivos algodoeiros do Brasil, especialmente no Oeste da Bahia.
 
O objetivo principal da visita é reunir informações técnico-científicas e conhecer de perto a tecnologia australiana de produção de algodão, em diversas áreas do conhecimento agronômico: melhoramento genético, qualidade de fibra, sistemas de produção, fitopatologia e entomologia. Essas informações deverão retornar em benefícios para a cotonicultura mato-grossense, por meio das pesquisas desenvolvidas pelo IMAmt.

Colaboração
 
Sob a liderança do pesquisador Jean Belot, o grupo será composto pelo entomologista Miguel Soria, o fitopatologista Rafael Galbieiri e a melhorista Patrícia Andrade Vilela. A comitiva brasileira será integrada ainda pelo produtor mato-grossense Sérgio De Marco, ex-presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) e da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), e atual presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Algodão e seus Derivados.
 
Os profissionais realizarão uma imersão de dez dias para conhecer as soluções de manejo e convivência com as pragas e doenças que têm similaridade com casos do Brasil, especialmente no que tange às boas práticas para o controle de lagartas-praga do gênero Helicoverpa. O foco é formatar projetos de colaboração com os melhores grupos de pesquisa australianos para o manejo, controle e o melhoramento genético para resistência a fungos de solo/viroses, e monitoramento da resistência de lepidópteros-praga a variedades Bt de algodoeiro.
 
A ação é dirigida pelo Instituto Mato-Grossense do Algodão (IMAmt), que nasceu em 2007 com o papel de atender às demandas da Associação Mato-Grossense dos Produtores de Algodão (AMPA) e seus associados por meio de pesquisas e disseminação de novas tecnologias para o setor. Os resultados deste intercâmbio científico serão apresentados no 9º Congresso Brasileiro do Algodão (9º CBA) - o maior encontro do setor no Brasil, que acontecerá em Brasília, de 3 a 6 de setembro.
 
9º Congresso Brasileiro do Algodão

A nona edição do Congresso será sediada em Brasília, palco político do País, entre os dias 3 e 6 de setembro. Com promoção da Abrapa (Associação Brasileira dos Produtores de Algodão), o evento é conduzido pela entidade estadual AMPA (Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão), com orientação do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) e foi desenvolvido em formato inovador, de co-criação, em que produtores e empresários são diretamente envolvidos na organização, por meio de práticas que facilitam a visualização dos conceitos e ideias traçados a partir das necessidades do dia a dia. 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.