Petrobras deve produzir álcool de lignocelulose em 2008
CI
Agronegócio

Petrobras deve produzir álcool de lignocelulose em 2008

Uma primeira planta-piloto, em escala menor, começará a funcionar em maio deste ano
Por:

Reuters - A Petrobras deve inaugurar em 2008 uma planta-piloto em escala industrial para produzir álcool a partir de lignocelulose, no Rio de Janeiro, afirmou o gerente de comércio de Álcool e Oxigenados da companhia, Sillas Oliva Filho, num seminário nesta quinta-feira (15-03).

Uma primeira planta-piloto, em escala menor, começará a funcionar em maio de 2007, no Centro de Pesquisa da Petrobras (Cenpes), no Rio de Janeiro. O processo de produção de etanol de lignocelulose permite o aproveitamento do bagaço de cana para a fabricação do combustível, elevando, portanto, o rendimento da cana-de-açúcar por hectare plantado. "A Petrobras está fazendo um grande investimento em pesquisa (na área)", afirmou Oliva a jornalistas, após sua apresentação no seminário.

Ele não detalhou os valores que estão sendo aplicados nem os volumes de produção nas unidades, mas disse que os estudos na área foram iniciados há cerca de cinco anos pela companhia. O executivo acrescentou que a segunda unidade servirá para a empresa conhecer melhor os custos de produção com o processo, para que uma indústria de base possa ser desenvolvida.

A brasileira Dedini, uma das maiores fabricantes de equipamentos para o setor de biocombustíveis, também tem investimentos na área. O processo de produção com essa nova tecnologia é hoje mais caro que o convencional, mas a expectativa é de que seu custo caia gradativamente.

A Petrobras deve fazer este ano um primeiro carregamento-teste de álcool anidro para o Japão (cerca de 20 milhões de litros), disse Oliva Filho, acrescentando que volumes mais expressivos e regulares seriam atingidos na safra 2008/09. A companhia vem trabalhando há anos numa parceria para vendas regulares do combustível para o país asiático. Com essa finalidade, uma joint-venture foi formada em 2005 com a trading japonesa Nipon Alcohol Banhai, a Brazil-Japan Ethanol.

E no início deste mês, a estatal assinou memorando de entendimentos com o Japan Bank for International Cooperation (JBIC), que deverá estudar projetos para plantio de cana, construção de usinas e logística, visando a exportação do combustível.

Para este ano, a Petrobras mantém a previsão de exportar 850 milhões de litros, ante 120 milhões em 2006, para Nigéria e Venezuela, e pretende "começar a exportar algo (de álcool anidro) para os Estados Unidos", afirmou Oliva Filho. O volume exportado para o mercado norte-americano, segundo ele, vai depender das condições do mercado.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink