Pif Paf vai investir R$ 260 milhões em Goiás

Agronegócio

Pif Paf vai investir R$ 260 milhões em Goiás

Ao todo, serão gerados mais de 1.500 empregos diretos e cerca de 4.500 indiretos
Por: -Redação
23 acessos

Folha Online - A Pif Paf Alimentos - uma das dez maiores do setor no Brasil – vai fazer investimentos de R$ 260 milhões no complexo agroindustrial de Goiás (nas cidades de Palmeiras de Goiás - a 70 km de Goiânia; e Paraúna - a 135 km da capital goiana).

Ao todo, serão gerados mais de 1.500 empregos diretos e cerca de 4.500 indiretos. A produção vai começar em março de 2008 e o projeto deve contemplar o abate de 150.000 aves/dia para produção de alimentos. Este é o maior projeto da empresa ao longo de sua história e, quando concluído, vai ser responsável por um incremento de 42% tanto no volume de produção quanto no faturamento.

O complexo da Pif Paf em Goiás, que conta com o apoio do BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (cujo contrato já se encontra firmado) e do Banco do Brasil, será composto por cinco unidades agroindustriais: um matrizeiro e um incubatório para produção de pintos no município de Paraúna, além de duas fábricas de rações, sendo uma em Paraúna e a outra em Palmeira de Goiás e um abatedouro também em Palmeiras de Goiás.

A implantação do complexo agroindustrial requer uma seqüência natural estabelecida pela cadeia produtiva da avicultura, cujo cronograma inicial prevê o início de funcionamento, conforme abaixo:

- Matrizeiro (Paraúna): março de 2007 (já concluiu a terraplanagem e as obras civis estão a pleno vapor)

- Incubatório (Paraúna): dezembro de 2007

- Fábrica de Rações (Palmeiras de Goiás): janeiro de 2008

- Aviários de Integrados: fevereiro de 2008 (região Oeste do Estado de Goiás)

- Abatedouro (Palmeiras de Goiás): março de 2008

A Pif Paf está cadastrando parceiros para a criação e fornecimento dos frangos de corte para abastecer a unidade industrial de Goiás, por meio do sistema denominado Parceria Avícola. Nesse sistema, a empresa fornecerá os insumos básicos, além da assistência técnica aplicada à produção. Os parceiros criadores participarão com as instalações, energia, água e mão-de-obra necessária para efetivar a parceria.

A cada lote de aves terminadas, os parceiros criadores terão direito a uma participação no resultado econômico e serão remunerados de acordo com a produtividade e índices técnicos alcançados.

Para desenvolver a atividade, serão construídos aviários, em parceria com produtores rurais da região oeste do estado de Goiás, compreendida pelos municípios de Anicuns, Avelinópolis, Campestre, Cezarina, Firminópolis, Guapó, Indiara, Jandáia, Nazário, Palmeiras de Goiás, Palminópolis, Paraúna, Santa Bárbara, São João da Paraúna, Trindade, Turvânia e Varjão.

No matrizeiro, serão criadas as aves reprodutoras que produzirão os ovos férteis. Após a seleção esta produção será transferida para a unidade incubatório, onde serão produzidos os pintos de corte. De lá, os pintos serão destinados aos aviários dos parceiros criadores integrados, onde receberão as rações e os cuidados necessários para crescimento e engorda. Na próxima etapa os frangos, já prontos para o abate, serão encaminhados ao abatedouro. Após processadas e industrializadas, as aves serão comercializadas no mercado interno (incluindo o estado de Goiás) e também serão exportadas.

O grupo está entre os 40 maiores do estado de Minas Gerais e faturou R$ 600 milhões em 2005. Desde 1968, no mercado, a Pif Paf, atualmente, produz 14 mil toneladas de alimentos por mês. Cerca de 10% de sua produção são destinados ao mercado externo. O grupo gera 4,9 mil empregos diretos e 15 mil indiretos.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink