Pinhão faz parte do plano de segurança alimentar de Curitiba
CI
Imagem: Pixabay
EVENTO

Pinhão faz parte do plano de segurança alimentar de Curitiba

O evento on-line “Araucária: Pesquisa, Inovação e Tecnologias para Sistemas de Produção” é organizado pela Embrapa Florestas
Por:

Em 26/11, a Embrapa Florestas realizou o quarto painel da série “Araucária: Pesquisa, Inovação e Tecnologias para Sistemas de Produção”, com o tema "Serviços Ambientais, Agroindústria e Comércio”. Felipe Thiago de Jesus, diretor de Segurança Alimentar e Nutricional na Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional de Curitiba foi um dos palestrantes do evento on-line e apresentou o “Mercado Comum Metropolitano e o Desenvolvimento Agroalimentar de Curitiba e Região Metropolitana de Curitiba-RMC”.

Segundo o palestrante, o “Plano Municipal de Segurança Alimentar” foi construído de forma colaborativa e atende três linhas: alimento solidário, mercado comum metropolitano e agricultura urbana. Na linha do mercado comum metropolitano, são trabalhadas cadeias produtivas com foco em produção, mercado e consumidor. “Hoje, na questão de produção, já trabalhamos com polos ativos de aipim, citrus, morango e pinhão; e estão em fase de instalação folhosas, orgânicos e banana”, explicou Felipe. “Nossa intenção é tornar o produto metropolitano mais competitivo, com padrão de qualidade e identidade e que fortaleça o mercado”, completa. No aspecto do consumidor, a ideia é a promoção e valorização dos produtos da RMC por meio de ações educativas para o consumo consciente.

Para isso, diversas linhas têm sido trabalhadas para agregar valor à produção, desenvolver tecnologias para produção e industrialização. “Um aspecto bem importante é que queremos incentivar a formação de pomares de pinhão, com a tecnologia desenvolvida pela Embrapa”, conta Felipe. Outras linhas envolvem ainda o incentivo ao turismo, fomento à formação de cooperativas e organização, formação de multiplicadores, incentivo ao artesanato e gastronomia; acesso a mercados institucionais e desenvolvimento de modelo de certificação.

Felipe informou que, em 2019, houve a primeira tentativa de inserir o pinhão na merenda escolar (PNAE), mas aconteceram problemas com a instituição vencedora do processo de aquisição, o que inviabilizou a efetivação da ideia. Um novo chamamento será feito em 2021, sendo 100% vinculado à agricultura familiar. Só como exemplo, Felipe citou que, se forem feitas somente duas inserções de pinhão por ano na merenda escolar, a demanda do produto ficaria em torno de 6.000 kg por ano.
Uma iniciativa de sucesso citada pelo palestrante é a realização da “Feira Sabores do Pinhão”, que reúne diversas instituições para levar informações e experiências gastronômicas ao consumidor. Por conta da pandemia não teve edição em 2020, mas deve voltar assim que for possível.

A palestra de Felipe Thiago de Jesus e as demais palestras que compuseram esse painel estão disponíveis no Canal da Embrapa no Youtube.

O evento on-line “Araucária: Pesquisa, Inovação e Tecnologias para Sistemas de Produção” é organizado pela Embrapa Florestas e conta com a parceria do IDR-Paraná, Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink