Sementes

Pirataria em Canoinhas/SC preocupa setor sementeiro

Para os agricultores que usam sementes ilegais, a consequência é a perda de receita pela baixa produtividade
Por:
443 acessos

A taxa de utilização de semente legal de soja no estado de Santa Catarina é de 70%, de acordo com a APROSESC (Associação dos Produtores de Sementes e Mudas do Estado de Santa Catarina). Entretanto, na região de Canoinhas, este número baixa para cerca de 30%, o que preocupa a instituição.

Por esse motivo, a região é um dos principais focos da campanha “A Força do Campo Nasce da Semente”. Lançada pela APROSESC, a campanha tem como objetivo conscientizar sobre os riscos do uso de semente ilegal, conhecida como pirata, valorizando a qualidade do insumo que passa pelo processo de certificação.

O engenheiro agrônomo Valmir Pavesi, secretário executivo da APROSESC, entende que a prática é corroborada por um viés cultural da região. Muitos agricultores, diante de uma lavoura com bom aspecto visual, guardam sementes e vendem para os vizinhos, partindo do pressuposto de que a próxima geração irá reproduzir os caracteres da então safra. “Entretanto, o agricultor que opta por essa prática perde em sanidade, está sujeito a misturas de campo decorrentes do manejo inadequado, já que estes grãos são armazenados sem qualquer critério e classificação”, alerta Pavesi. “Quem compra semente ilegal está comprando grão, e levando para sua lavoura uma série de problemas, como doenças e danos mecânicos causados pelo manuseio deficitário”, informa o engenheiro agrônomo. “O agricultor que usa semente pirata só tem a perder”, conclui.

A economia da região também é afetada pela prática, já que com a pirataria não há recolhimento de impostos. De acordo com o secretário executivo da APROSESC, os produtores de sementes da região sentem-se desprestigiados, pois seus esforços para produzir insumos de qualidade enfrenta a concorrência desleal da pirataria. Para os agricultores que usam sementes ilegais, a consequência é a perda de receita pela baixa produtividade. O resultado é menos dinheiro circulando no local.

A APROSESC é uma associação que congrega 28 produtores de sementes de Santa Catarina, onde o caráter ético e a conduta dentro dos padrões e normas de produção são respeitados. Por isso, os insumos produzidos pelas empresas e cooperativas associadas têm origem, responsáveis técnicos, registro junto a órgãos públicos e passam por critérios de análises que garantem sua qualidade.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink