Por dentro da safra: com a safra finalmente toda no galpão
CI
Imagem: Marcel Oliveira
FUMICULTURA

Por dentro da safra: com a safra finalmente toda no galpão

Vamos esperar agora pelo momento em que o clima estará bom para manusear esse tabaco e fazer a classificação
Por:

Ingressamos em 2021 com a colheita do tabaco concluída. Em nossa propriedade, a última fornada da minha parcela das lavouras deve estar seca nesta terça-feira, 5, e a dos meus pais tende a estar totalmente curada entre a quarta e a quinta-feira. Com isso, as folhas dessa temporada estarão todas armazenadas no galpão. Vamos esperar agora pelo momento em que o clima estará bom, favorável, em termos de umidade, para manusear esse tabaco e fazer a classificação visando a comercialização do produto.

Mas a colheita segue em outras regiões

E se em toda a região central do Estado, ao menos nas áreas que plantam mais cedo, a safra se encaminha para o final, é bem diferente em outras localidades do Sul do Brasil. A lavoura na foto em destaque, com plantas muito viçosas, é da família Opolinski, de Rebouças, no Paraná, que visitei no fim de setembro. Na época, o tabaco que eles haviam plantado mais cedo, no final de agosto, cerca de 100 mil pés, estava sofrendo muito com a estiagem. Muitas plantas estavam quase morrendo por falta de água. Mas a lavoura dessa foto foi plantada no fim de setembro, e já teve uma situação muito diferente de clima, com boas chuvas. O resultado se pode ver no excelente aspecto do tabaco.

A propriedade é conduzida por seu Edvino Opolinski, em parceria com os filhos Gilson, Paulo e Marcos, em família. Com a seca que atingiu as lavouras do cedo, a tendência é de que o rendimento fique em cerca de 150 gramas por planta, em média, quando havia ficado em 200 gramas por pé no ciclo anterior.

Hora de semear a adubação verde

Se a colheita do tabaco chegou ao final, várias outras tarefas aguardam pela gente agora, inclusive as de preparação da terra já para o inverno e para a próxima temporada. Não há tempo a perder, e o planejamento deve ser seguido à risca.

Na foto abaixo, apareço com semente de crotalária, que funcionará como adubação verde para a área onde estava o tabaco. Essa leguminosa fixa nitrogênio e controla os nematoides. Estamos na torcida para que chova por esses dias, como previsto, e possamos concluir essa semeadura.

Em abril, a crotalária será dessecada e incorporada ao solo, para a formação dos camalhões nos quais plantaremos de novo o tabaco. E ainda vamos semear capim-sudão, milheto e aveia, gramíneas que depois, no momento do plantio, vão dessecar ao natural. Proteger o solo e recuperá-lo com essas plantas de cobertura é medida essencial para ter sucesso na próxima safra.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink