Preço do frango em Pernambuco deve apresentar redução de até 15%


Agronegócio

Preço do frango em Pernambuco deve apresentar redução de até 15%

Por:
41 acessos

Com a notícia de que o Estado de Pernambuco voltou a importar milho da Argentina, diga-se de passagem transgênico, o preço da carne de frango no Estado poderá registrar queda de 10% a 15% em um prazo de 60 dias. Essa é a previsão da Associação Avícola de Pernambuco (Avipe), que negociou a compra de 18 mil toneladas do produto para um consórcio de produtores locais, por meio de uma liminar da Justiça Federal.

Segundo o presidente da Avipe, Edilson Santos, o recuo deve acontecer em decorrência dos preços mais baixos do frete da Argentina em relação ao do Sul do país. Enquanto os avicultores pagam R$ 34 pela saca do produto brasileiro, o argentino custa R$ 24,50. Ele acrescenta destacando que a queda no preço da ave só será possível com a regularidade nas importações, como acontecia até 2000. Além disso, para recuperar o crédito com a Argentina foi necessário pagar antecipadamente toda a carga e o frete. O desembolso foi da ordem de US$ 2,1 milhões. A carga será suficiente para alimentar três milhões de aves por menos de 15 dias.

Hoje, o preço médio do quilo do frango no Grande Recife está em torno de R$ 2,40. Desde 2000, os avicultores não adquiriam o produto da Argentina por causa da proibição do governo federal. Depois de ter passado três dias no Porto do Recife, a carga começa a chegar hoje (24-04) às granjas do Estado. Uma outra alternativa a os produtores que não receberem o produto argentino é os leilões de opção do governo federal, que hoje ofertará 25 mil toneladas ao preço de R$ 28 a saca de 60 Kg. O governo tentou realizar três leilões este ano a produtores nordestinos, porém, sem sucesso. Os avicultores do Estado afirmam que pretendem continuar com a importação. Conforme o vice-presidente da Avipe, Antônio Correia de Araújo, uma nova carga já está sendo negociada com os argentinos para os próximos dias.

Adaptado do jornal Diário de Pernambuco


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink