Preços não se movem, assim como as vendas da soja
CI
Imagem: Pixabay
COTAÇÕES

Preços não se movem, assim como as vendas da soja

Sem interesses em negócios da oleaginosa também no Paraná
Por: -Leonardo Gottems

Os preços da soja permanecem estáveis e o volume negociado diminui no estado do Rio Grande do Sul, de acordo com informações que foram divulgadas pela TF Agroeconômica. “No mercado de lotes, como pode ser visto na tabela ao lado, os preços permaneceram inalterados em relação a ontem, com todas as regiões se mantendo nos mesmos níveis. Com isto, o dia contou com falta de interesse por parte dos dois agentes do mercado, tanto vendedor quanto comprador e o volume total chegou no máximo a 10.000 toneladas, apenas 10% das vendas de ontem”, comenta. 

Em Santa Catarina o dia mantém níveis anteriores, com poucos negócios feitos. “Mercado  segue  para  outro  dia  extremamente  calmo  em  Santa  Catarina,  com  poucos  negócios  sendo  feitos.  Os valores, por sua vez, não estão tão parados e retornam aos níveis de R$180,00 spot e variando até R$178,50 para 30 de  dezembro.  Com  os  preços  em  alta,  o  produtor  decidiu  vender,  volumes  pontuais  saíram  nesses  melhores momentos, mas ainda existe muita resistência por parte do vendedor”, completa. 

Sem interesses em negócios da oleaginosa também no Paraná. “No Paraná o dia foi de calmaria total. O produtor, já muito defensivo, ficou de fora do mercado. Os lotes de Ponta Grossa e Paranaguá mantiveram os mesmos níveis de ontem, como pode ser visto na tabela ao lado. A esses preços  e  com  Chicago  sem  muitos  movimentos,  os valores  negociados  não  passaram  dos  pontuais  de manutenção, quando uma tendência de alta aparece, o  produtor  paranaense  tende  a  segurar”, indica. 

Além disso, os preços alcançam novas altas e geram boas vendas de 25.000 toneladas no Mato Grosso do Sul. “Nesta  quinta-feira,  os  preços  evoluíram  de  forma dispersa,  mas  considerável,  com  algumas  regiões melhorando em média R$ 1,00/saca e outras em até R$  3,00/saca.  O  dólar,  que  costuma  ser  o  principal encarregado da mudança dos valores na região nesse momento  de  demanda  mais  baixa  no  Brasil,  contou com  ótima  melhora  de  até  0,53%”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.