Presidente da CNA diz que PAP representa mudança de paradigma para setor
CI
Agronegócio

Presidente da CNA diz que PAP representa mudança de paradigma para setor

Katia Abreu disse que momento é muito importante para todos os produtores brasileiros
Por:
Presidente da CNA participou de cerimônia de lançamento do Plano Agrícola e Pecuário 2012/2013, no Palácio do Planalto, e disse que momento é muito importante para todos os produtores brasileiros
O Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2012/2013, anunciado nesta quinta-feira (28) pelo Governo federal, representa uma mudança de paradigma para o setor rural, avaliou a presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu, em cerimônia, no Palácio do Planalto, na qual a presidente da República, Dilma Rousseff, e o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Mendes Ribeiro, anunciaram as principais medidas do PAP. “Muito mais importante que a queda dos juros e o aumento do volume de crédito, o novo modelo de política agrícola baseado no seguro rural, na proteção do crédito, do patrimônio dos produtores, é um dos pontos mais significativos do plano”, afirmou a presidente da CNA.

Citou que as diretrizes para as políticas de comercialização também representam um avanço, pois o dinheiro destinado chegará, em especial, aos pequenos e médios produtores. Essa é a orientação da presidente Dilma Rousseff. “Os recursos têm que chegar ao maior número de produtores, sem desvio de percurso”, afirmou a presidente, que também defendeu o fortalecimento da classe média rural. “Queremos que o produtor foque na terra, na semente e na colheita e não no banco e na hipoteca”, afirmou a presidente Dilma Rousseff.

Sobre o seguro agrícola, a senadora Kátia Abreu afirmou que a meta é ter, em 2015, 50% da área de produção do País segurada. “Nós saímos de 5% e a expectativa é ter 20% da área segurada na safra 2012/2013. Para o setor agropecuário, esse é um alento extraordinário para continuar produzindo”, afirmou. Lembrou que, até agora, o setor não pode contar com uma política efetiva de seguro rural, produzindo “na insegurança total e absoluta”. Ela salientou o esforço do governo, em especial da ministra Gleisi Hoffmann, da Casa Civil, para mudar este cenário, minimizando os riscos da produção e reduzindo a volatilidade da renda do produtor. “Oriunda de um Estado agrícola, o Paraná, que sofreu grandes perdas na última safra, a ministra chefe da Casa Civil foi uma grande articuladora e defensora desta nova proposta para o seguro rural”, afirmou a senadora Kátia Abreu.

Entre as medidas anunciadas nesta quinta-feira, está a ampliação de R$ 253 milhões para R$ 400 milhões no volume de recursos para subvenção ao prêmio do seguro. A presidente da CNA lembrou que outros países produtores de grãos e carnes têm uma política de seguro agrícola consolidada, como os Estados Unidos, onde o seguro cobre 86% da área plantada. “Quando a safra é segurada, a iniciativa privada financia a agricultura a juros baratos”, afirmou.

Outro eixo da política estruturante anunciada para o setor, nesta quinta-feira, foi a criação da Agência de Extensão Rural. “É uma medida fundamental para o processo de inclusão dos agricultores com baixa produtividade e, consequentemente, menor renda, que serão capacitados para adotar tecnologias que atendam às demandas por uma produção sustentável, que lhes garantirá o fortalecimento da classe média rural e a ascensão a novos patamares de renda”, explicou a presidente da CNA.

Os recursos do plano agrícola estarão disponíveis nas agências bancárias a partir de segunda-feira (02/07), segundo o MAPA. No total, serão liberados R$ 115,2 bilhões para custeio, comercialização e investimento no ano-safra, que vai de julho a junho. O valor é 7,5% superior ao disponibilizado na safra 2011/2012. Para a presidente da CNA, a liberação dos recursos comprova que o Governo reconhece a importância do setor agropecuário para a economia do País. “O setor corre atrás da inovação, aplica e transforma inovação em tecnologia e, por isso, está conseguindo desenvolver-se, apesar de enfrentar o mesmo câmbio, os mesmos juros e a mesma infraestrutura”, afirmou. Na cerimônia, a presidente Dilma Rousseff afirmou que a agricultura “exerce papel essencial para enfrentamento da crise internacional”. Acrescentou, ainda, que se for preciso, mais recursos poderão ser liberados para o setor agropecuário.

Veja a íntegra da nota técnica da CNA com a análise do PAP 2012/2013

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink