Presidente da Cooxupé aponta as necessidades de avanços na lavoura
CI
Agronegócio

Presidente da Cooxupé aponta as necessidades de avanços na lavoura

Carlos Paulino da Costa participou de painel no Global Agribusiness Forum
Por:
Carlos Paulino da Costa participou de painel no Global Agribusiness Forum, evento que terminou na última quarta, 26, e contou com a presença do ex-vice-presidente dos EUA Al Gore

Com o objetivo de debater a logística, mecanização e otimização das lavouras brasileiras, o primeiro Global Agribusiness Forum, evento que trouxe renomados especialistas do agronegócio do mundo para falar dos desafios do setor para alimentar a população nos próximos anos, trouxe em um dos seus painéis o especialista australiano na área de mecanização, John Pearce, que dividiu o debate com o presidente da Cooxupé, Carlos Paulino da Costa, Luciano Luft, da LUFT Agro, Milton Xavier, Assessor de Logística do Estado de São Paulo e Julio Fontana, presidente da RUMO.

Pearce revelou aos participantes a necessidade de investimento em educação e qualificação de mão de obra para aumentar a produtividade e a competitividade no campo brasileiro, com a mecanização dos processos. “Desde 1973, a Austrália (país de sua origem) possui 100% da colheita de cana mecanizada. Temos menos mão de obra que o Brasil, mas conseguimos maior eficiência com este processo porque temos profissionais qualificados para atuar com este maquinário”, conta.

Trazendo a realidade da mecanização na lavoura de café, o presidente da Cooxupé complementou o quadro mostrando os avanços e os desafios da cafeicultura no país. “O café é um grande empregador. No ano passado, as exportações do grão equivaleram a 8 bilhões de dólares, mas os custos de sua produção estão cada vez mais caros por uma série de fatores, como aumento da inflação entre outros impactos que o encarecem principalmente durante a colheita. A solução para o produtor é mecanizar”, conta.
Segundo Paulino, a própria cooperativa tem desenvolvido novas técnicas e investido em infraestrutura para otimizar e deixar o grão mais competitivo no mercado. “Estamos inaugurando no dia 18 de outubro a segunda fase do Complexo do Japy, empreendimento logístico desenvolvido pela cooperativa que tornará o processo de recebimento, armazenamento e distribuição de café mais ágil. Com ele, também vamos dobrar nossa capacidade atual de armazenar o grão”, revela.

Como conclusão, o presidente da Cooxupé acredita que um dos grandes desafios e necessidades para o pequeno produtor - cerca de 97% dos 12 mil cooperados são pequenos e médios cafeicultores – será o avanço rápido na mecanização, deixando o campo mais interessante para o produtor e evitando o êxodo para as grandes cidades. “Ao investirmos em mão de obra qualificada e processos vantajosos e eficientes na lavoura, a migração para as cidades tende a diminuir, trazendo mais competitividade para o meio rural”.

O evento teve no mesmo dia uma palestra com o ex-vice-presidente dos EUA, Al Gore Jr., que trouxe para a plateia os desafios de produzir com sustentabilidade, um dos principais pilares do encontro.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink