Produtor de HF pode ganhar mais com uso de bioestimulantes

PRODUÇÃO

Produtor de HF pode ganhar mais com uso de bioestimulantes

Rotam do Brasil disponibiliza o produto Yoduo que diminui as perdas e aumenta a produtividade
Por:
1331 acessos

A margem de ganho do produtor brasileiro tem se estreitado nos últimos anos, especialmente os que cultivam hortifrútis (HF). Segundo dados da Revista Hortifrúti Brasil, os indicadores de custo de produção entre 2018 e 2019 voltaram a registrar altas, após pouca variação em 2017. Os gastos com fertilizantes foram os protagonistas, seguidos pelos defensivos.

A produção de tomate de mesa em Mogi Guaçu (SP), por exemplo, teve uma alta nos Custos Totais (CT) de produção da região em quase 14% no acumulado dos últimos dois anos. Ou seja, mesmo com boas perspectivas de safra e produção, é necessário reduzir ao máximo as perdas e aumentar a produtividade.

Uma das alternativas disponíveis hoje no mercado para que o agricultor possa aumentar sua margem de lucro é o uso dos bioestimulantes. O produto multiação da Rotam, por exemplo, Yoduo, contém na formulação micronutrientes e aminoácidos que auxiliam o crescimento, e ajudam a melhorar as estruturas reprodutivas em hortifrútis como tomate e batata.

O produto, segundo o coordenador de marketing, Lucas Cavallari, ajuda no fornecimento de energia adicional para que as plantas consigam realizar fotossíntese de modo mais eficiente. “Através desse estímulo, podem conseguir um melhor resultado”, destaca. Além disso, os fatores bióticos e abióticos que atuam reduzindo o potencial produtivo e podem afetar negativamente o bom desenvolvimento e crescimento das plantas, causando perdas de produção. “Diferente de um nutriente vegetal, um bioestimulante é um gatilho e pode ajudar na redução de perdas por esses fatores”, aponta.

Resultados comprovados

Em testes realizados a campo com batata na estação experimental da empresa, em Artur Nogueira-SP, a aplicação do produto no sulco rendeu 3.300 kg/ha a mais que o padrão do produtor. Já na cultura do tomate, as pesquisas resultaram em 32% a mais que o padrão habitual.

Fácil de usar, seguro para a lavoura, pode ser misturado com a maioria dos agroquímicos. “É importante destacar que os bioestimulantes devem ser aplicados no momento certo e isso faz toda a diferença. A orientação é para que procure sempre um engenheiro agrônomo para avaliar qual o melhor produto e época para sua lavoura”, completa Cavallari.

 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink