Produtores de Tangará da Serra/MT receberão gratuitamente mudas micropropagadas de banana

Agronegócio

Produtores de Tangará da Serra/MT receberão gratuitamente mudas micropropagadas de banana

A técnica das mudas micropropagadas, cultivas in vitro, proporciona a produção de mudas isentas de doenças
Por:
987 acessos

O dia de campo Cultivo da Banana, na Unidade Experimental da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) realizado no dia 09 de dezembro foi o ponta pé inicial para que os produtores rurais do município de Tangará da Serra tenham acesso as mudas micropropagadas de banana nanica desenvolvidas e produzidas no laboratório de Cultura de Tecidos Vegetais da Unemat.  A técnica das mudas micropropagadas, cultivas in vitro, proporciona a produção de mudas isentas de doenças, mais produtivas, e, consequentemente, com alto retorno econômico por hectare.

Todos os produtores rurais que participaram do dia de campo na Unidade Experimental da Unemat já levaram para suas propriedades algumas mudas que se tornarão matrizes. Mas os produtores rurais de Tangará da Serra, por meio de associações, poderão receber, gratuitamente, até 200 mudas por ano, após vistoria técnica da Seapa e da Empaer que a partir de agora se torna parceira na transferência de tecnologia para o arranjo produtivo local da banana.  

Caberá à Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) disponibilizar as mudas via associações municipais, à Empresa Matogrossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) proporcionar assistência técnica ao produtor rural e acompanhar as áreas de produção da banana no município e aos produtores efetuar o plantio, o custeio das atividades e cumprir as diretrizes técnicas.

A produção dessas mudas é vantajosa, mas também laboriosa e demorada afirmou o professor da Unemat, Willian Krause, doutor em Genética e Melhoramento de Plantas e coordenador do projeto Transferência de tecnologias de produção em fruticultura visando o fortalecimento da agricultura familiar em Tangará da Serra. "Nós utilizamos essa técnica onde o tempo entre as gemas e as mudas prontas é de 10 a 12 meses. Mas o acréscimo na produção de mudas é um destaque, a partir de cada gema podemos produzir de 50 a 70 mudas", justificou Krause.  

A parceria teve início em 2012 quando o município entrou com o aporte financeiro e a universidade com pesquisa, orientação junto aos produtores rurais e a execução do projeto. A proposta, que agora também conta com a Empaer, favorece o desenvolvimento econômico e sustentável da agricultura familiar no município.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink