Produtores do norte de Minas investem no plantio da banana BRS Princesa
CI
Banana

Produtores do norte de Minas investem no plantio da banana BRS Princesa

Equipe da Unidade aproveitou para visitar propriedades de bananicultores da região onde estão instalados experimentos de pesquisa
Por:

Pela primeira vez, a Embrapa Mandioca e Fruticultura — Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento — participou com demonstração de tecnologia da Expô Janaúba — a 37ª edição da feira agropecuária aconteceu de 31 de maio a 10 de junho, em Janaúba, norte de Minas Gerais. A equipe da Unidade, que levou a banana BRS Princesa para o estande da Associação Central dos Fruticultores do Norte Minas (Abanorte), aproveitou para visitar propriedades de bananicultores da região onde estão instalados experimentos de pesquisa.

O grupo era formado por quatro profissionais: o pesquisador Fernando Haddad e o analista Leandro Rocha, que atuam na região em contato direto com os produtores, o analista Herminio Rocha (Setor de Gestão de Transferência de Tecnologia) e a jornalista Alessandra Vale (Núcleo de Comunicação Organizacional). 

Na segunda-feira (4), primeiro dia de atividades, eles participaram das comemorações dos 25 anos da Abanorte, na Expô Janaúba. O presidente da entidade, Saulo Bresinski, falou sobre a parceria com a Embrapa e as expectativas do setor produtivo com a variedade BRS Princesa, que vem sendo validada na região. “Agradecemos à Embrapa que busca novas variedades para atender aos desafios enfrentados pelo produtor, com resistência a doenças de solo e de folha. No caso da BRS Princesa, já tem áreas com a nova variedade. Além do sabor característico, é resistente a doenças que hoje têm causado vários problemas ao produtor. Essa variedade tem se adaptado à região, forte produtora de Prata e de Nanica. Vem avançando, ganhando mais adeptos, aumentando os plantios. Tem muito potencial de mercado. Vários polos vêm despertando o interesse pela fruta.”

No dia seguinte (5), em Jaíba, no escritório do grupo Borborema, primeiro parceiro a apostar na BRS Princesa na região, a equipe conversou com a gerente-geral do grupo, Aline Bastos, que fez um apanhado do trabalho realizado com a BRS Princesa — são destinados 3,5 hectares para a variedade, que já vem sendo comercializada pelo grupo nos mercados de Belo Horizonte e São Paulo. Na parte da tarde, estiveram com o gestor de produção da Borborema, Dilhomar Aguiar, com quem percorreram os bananais da fazenda para avaliar também o trabalho feito de manejo da murcha de fusarium nos plantios de Prata e Nanica (a BRS Princesa é resistente a essa doença fúngica e às sigatokas amarela e negra, doenças foliares). Depois foram para a Fazenda Barriguda, também em Jaíba, onde há experimentos com a BRS Princesa e de manejo da murcha de fusarium, sendo recebidos pelo gerente Adailton Mendes. 

No terceiro dia de atividades, o grupo voltou à Fazenda Barriguda para conversar com o produtor Marcos Ribeiro. “Quero levar a BRS Princesa para pequenos produtores amigos em Montes Claros. É uma banana muito boa. É semelhante à Maçã, mas tem uma cremosidade que a Maçã não tem. E é um sonho para o produtor, que não vai precisar usar defensivos”, complementa Marcos.

Maçã Princesa orgânica

No último dia, o grupo visitou a Fazenda Oriente, da Brasnica Frutas Tropicais, onde se destinaram oito hectares à BRS Princesa, cultivada em sistema orgânico de produção. A previsão é de que em agosto aconteça a colheita do primeiro ciclo. “Fomos em busca da Embrapa para desenvolver um trabalho conjunto para trazer algo novo para o mercado e também ganharmos mais eficiência no que estamos fazendo. Daí o Fernando, o Leandro e a equipe trouxeram essa variedade Maçã Princesa e temos desenvolvido trabalho na cultura orgânica. Estamos nessa área hoje com desenvolvimento espetacular. A característica da fruta foi bem aceita no mercado e agora estamos entrando em escala mais comercial. Com certeza, vamos ter muito sucesso. O consumidor vai ter um produto diferente, com o cultivo orgânico. E, tendo a Embrapa como parceira, nosso cliente consumidor vai validar isso e vai dar maior credibilidade ao nosso negócio e a esse produto”, pontou o produtor Helton Jun Yamada, que acompanhou o grupo na visita.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink