Programa levará educação ambiental

Agronegócio

Programa levará educação ambiental

Nesta fase, toda a região do Pantanal e seu entorno na Bacia do Alto Paraguai (BAP) será contemplada
Por:
1 acessos

Representantes da Diretoria de Educação Ambiental (DEA), do Ministério do Meio Ambiente, visitaram Mato Grosso do Sul para acompanhar a última etapa da construção do Programa de Formação de Educadores Ambientais Pantanal, projeto que contará com financiamento do Programa Pantanal. No dia 7 de março eles participaram de reunião com representantes de instituições ligadas à Educação e ao Meio Ambiente do município de Corumbá (MS) para definir as ações que irão integrar o programa na região. A reunião se estendeu durante todo o dia 8 , no auditório da Embrapa Pantanal (Corumbá, MS).

Nesta fase, toda a região do Pantanal e seu entorno na Bacia do Alto Paraguai (BAP) será contemplada com as propostas de formação em Educação Ambiental, por meio da realização de reuniões com as instituições locais. Para executar o Programa de Formação, o Estado foi dividido em quatro grandes núcleos, sendo Campo Grande, Coxim, Corumbá e Jardim, abrangendo todos os 30 municípios situados na BAP. O coordenador nacional do Programa de Formação de Educadores Ambientais do Pantanal, Heitor Queiroz de Medeiros, participa das reuniões que estão sendo realizadas nos grandes núcleos.

Um dos princípios da metodologia utilizada para a construção do programa é atender a demandas específicas e respeitar a diversidade das várias regiões pantaneiras e da BAP, potencializando ações e pessoas atuantes na defesa de uma melhor qualidade de vida para os pantaneiros. O maior desafio do programa será levar temas de educação ambiental para toda a população da Bacia do Alto Paraguai (BAP), inclusive estendendo articulações e intercâmbio de informações e experiências para países vizinhos como Bolívia e Paraguai e outras regiões brasileiras.

Para gerar a sustentabilidade e a formação contínua, o Programa de Formação facilitará o acesso aos recursos e fontes financeiras, mapeará conteúdos, especialistas, tutores e instituições formadoras visando estimular a integração com o programa. O programa de formação surgiu a partir de demandas levantadas pelos próprios educadores ambientais e gestores de municípios pantaneiros e da BAP, durante as ações do Programa Pantanal. Desde então, um grupo de cerca de 80 especialistas, gestores e protagonistas da educação tem trabalhado para finalizar o Programa de Formação.

Demanda

No ano passado, a Embrapa Pantanal - unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) - realizou a primeira edição do Curso de Formação de Multiplicadores Ambientais, em parceria com a WWF-Brasil, Secretaria Municipal de Educação de Corumbá (SMEC), Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e Centro de Prevenção e Reabilitação do Trabalhador (Cenpret). O curso identificou uma demanda potencial por atividades de formação em educação ambiental, tendo mais de 180 inscritos disputando as 25 vagas oferecidas nesta primeira edição.

O curso teve como objetivo central fornecer orientação metodológica aos professores do ensino médio e fundamental inscritos. Um dos frutos dessa iniciativa será o livro "Contribuições para a Educação Ambiental no Pantanal", que será lançado ainda nesse ano pela Embrapa Pantanal.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink