Projeto mostra que á capaz controlar indcidência de ferrugem

Agronegócio

Projeto mostra que á capaz controlar indcidência de ferrugem

Por:
2 acessos

Um programa de monitora-mento e alerta pretende controlar a dispersão da ferrugem asiática nas plantações de soja do país. O Syntinela, desenvolvido pela multinacional Syngenta, permite aos produtores identificar as áreas em que existe a contaminação pela doença e a aplicação de fungicidas de forma preventiva, preservando o potencial produtivo da cultura.

O Syntinela consiste em 1.100 áreas espalhadas estrategicamente nas regiões produtoras de soja do Brasil, 500 delas na região sul do país. No total, o programa monitora a ferrugem numa área de mais de seis milhões de hectares que produzem, anualmente, 17 milhões de toneladas de grãos. O programa foi demonstrado ontem a técnicos da Seab, Emater, Cocamar, e a produtores da região de Maringá.

Na região sul, o Syntinela é desenvolvido em conjunto com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Secretaria Estadual de Agricultura, universidades e Emater. Lançado na safra 2003/2004,e estima-se que o programa contribuiu para evitar perdas de US$1 bilhão.

Como funciona:

Nas áreas utilizadas pelo Syntinela, com aproximadamente 100 m2 e no meio de plantações, a soja é plantada entre 20 e 30 dias antes da data usual de plantio da região. Essas áreas são supervisionadas por agrônomos treinados na identificação da ferrugem. Realiza-se uma vistoria a cada três dias.

No caso da suspeita de contaminação, os agrônomos recolhem amostras das folhas e as encaminham para laboratórios oficiais, entre os quais o da Em-brapa. Eles identificarão se existe ou não a incidência da doença. Se uma determinada região for atingida pelos esporos da ferrugem, a doença se manifestará antes nas áreas supervisionadas, por terem sido plantadas antes das culturas comerciais e as plantas estarem mais desenvolvidas e suscetíveis à doença. Nesses casos a Syngenta informa para as instituições de pesquisa de todo o país, órgãos oficiais, agrônomos e produtores, que a região está contaminada.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink